domingo, 4 de julho de 2021

Fantasias são importantes na vida íntima do casal?


 
Foto: Reprodução
MANAUS - As relações oferecem diferentes possibilidades de práticas, que podem ser utilizadas para apimentar a relação. No caso das fantasias, os desejos compartilhados se tornam um fator importante que cria intimidade entre o casal e gera aumento do prazer.

Na matéria especial do EM TEMPO, o Sebastião Nascimento fala sobre as fantasias e a importância dela dentro de um relacionamento. O Sebastião é também psicólogo, sendo especialista em técnica de exercícios respiratórios para controle de ansiedade e disfunções pela fundação internacional de medicina natural (Fimen). 

O que é uma fantasia

Fantasia é um desejo latente de um ambiente ou situação que possa aumentar a sensação de prazer na hora do ato. As fantasias são muito comuns em todos os seres humanos a partir de uma idade que começam a ter o pensamento presente.

“Existem três tipos de fantasia: as fantasias internas, em que o casal se comporta entre eles, envolvendo falas, vestes, tudo aquilo que as integridades físicas e psicológicas estão de acordo. As fantasias internas internalizadas é quando o casal está no ato e um deles está pensando em outra pessoa. E as fantasias externas são aquelas em que a pessoa corre o risco de exibicionismo. Tudo aquilo que envolve outras pessoas presencialmente ou virtualmente”, destaca.

É normal ter fantasia

Para o Sebastião Nascimento, é normal ter fantasia. Ele destaca que todo ser humano pensante tem fantasia. “Aquelas que não externam suas fantasias é por conta de fatores religiosos ou repreensão, mas suas fantasias estão ali, internamente. Ao longo do tempo as fantasias são desenvolvidas, porque é comportamento aprendido. Com o tempo é normal quebrar os paradigmas e colocar a fantasia em prática”.

Até que ponto as fantasias são importantes?

É fato: casais que compartilham suas fantasias aumentam a chance de serem mais parceiros. Abrir o jogo sobre o que desejam na cama e o que podem fazer para realizar suas vontades potencializa a cumplicidade. E não só isso: dá asas à criatividade, algo necessário para manter a libido sempre em alta. Apesar disso o psicólogo destaca que essas fantasias dependem do amadurecimento de cada um.

“Tem pessoas que têm um amadurecimento apenas para fantasias internas e tem outras que têm fantasias externas. De todas as formas é preciso que o casal esteja alinhado”, explica.

 Fantasias mudam de acordo com a idade

Assim como o jeito de se relacionar de cada um muda conforme o tempo, o tipo de fantasia também vai se modificando ao longo dos anos. Segundo Nascimento, as fantasias mudam de acordo com a idade e a experiência. “As pessoas que frequentam as casas de swing são pessoas mais velhas na faixa etária na média de 30 a 35 anos. Então isso vai mudando de acordo com os desejos, de acordo com o que a pessoa já fez”.


Com informações do site: EM TEMPO