domingo, 11 de julho de 2021

Idoso leva facada no rosto durante e vai ao chão


 
Foto: Reprodução

Um idoso de 77 anos levou uma facada no rosto durante um assalto na região da Avenida Vasco da Gama, em Salvador. O caso ocorreu na sexta-feira (9), quando Gilberto Pimentel e a esposa saíam da casa onde moram para ir à feira.

"Eu estava descendo para ir à feira e eles se escondem atrás de uma escada, quando você vai passando eles já vão em cima da pessoa. Foi assim comigo e ele [o assaltante] me disse: eu estou armado e veio. Eu dominei o braço dele, a faca que estava na mão dele caiu. Eu dei um murro, ele caiu e quando ele caiu, eu ia pegar a faca, mas ele pegou primeiro", explicou.

Após conseguir pegar a faca, o assaltante golpeou Gilberto Pimentel. O bandido fugiu com o celular do aposentado e a bolsa da esposa dele. O idoso contou que quase perde a visão por causa do ferimento.

Em nota, a 7ª Delegacia Territorial do Rio Vermelho disse que investiga o assalto ocorrido com o idosos e a esposa. As câmeras da localidade vão ser solicitadas para ajudar na identificação do autor.

O condomínio onde Gilberto mora fica em frente à Avenida Vasco da Gama. São 600 apartamentos, além de outros dois conjuntos habitacionais no mesmo local. Pra ter acesso, é preciso subir uma ladeira, justamente onde os bandidos agiram.

O ponto que Gilberto foi assaltado fica no meio de uma ladeira que dá acesso ao conjunto residencial. No local, há uma escada e os assaltantes aproveitam para se esconder e abordar as pessoas que passam caminhando. Eles agem principalmente no início da manhã quando os moradores estão indo para o trabalho.

O idoso não foi a única vítima de assaltantes na região, o inicio deste ano, o balconista Wesley Jesus teve o celular roubado quando voltava da academia.

"Foram três indivíduos. Eles me abordaram e não foi só um assalto. Eles me levaram junto com eles até 1,5 km, levaram celular e carteira", relembra Wesley.

O professor Paulo Sérgio de Oliveira , também morador, mesmo sabendo dos riscos de passar por aqui, precisa subir a pé todos os dias.

"Não tem outra opção, não tenho automóvel e subo com medo, pedindo a Deus que nada aconteça", disse.

Com informações do site: G1