sábado, 31 de julho de 2021

Incêndio atinge cinemateca de São Paulo pela 2ª vez




Foto: Reprodução
Um incêndio de grandes proporções atingiu um galpão da cinemateca de São Paulo nesta quinta-feira, dia 29 de julho, na Vila Leopoldina, Zona Oeste de São Paulo.

O Incêndio cinemateca de São Paulo  começou por volta das 18 horas. De acordo com o G1, o Corpo de Bombeiros recebeu um chamado na Rua Othão, 290. Cerca de 11 viaturas com 20 homens se deslocaram à região. Não há registro de vítimas.

Esse é o segundo incêndio que atinge o local em cinco anos. Em 2016, as chamas destruíram mais de 500 obras nacionais.

A cinemateca de São Paulo foi criada em 1946 para preservar e difundir a produção audiovisual brasileira. Ela guarda mais dede 250 mil rolos de filmes e mais de um milhão de documentos relacionados ao cinema, como fotos, roteiros, cartazes e livros, entre outros. Portanto, a instituição é a principal cuidadora do cinema no Brasil.

O órgão é ligado à Secretaria da Cultura do Governo Federal e sua sede fica na Vila Clementino, na Zona Sul de São Paulo.

Quem administra a Cinemateca Brasileira?
A Cinemateca está fechada desde julho de 2020, sem funcionários, e vive uma situação dramática. De mão em mão, a instituição está sem gestão.

Em 2018, após concessão do ex-presidente Michel Temer (MDB), a gestão da Cinemateca passou para as mãos da TV Escola para a organização social Associação de Comunicação Educativa Roquette Pinto.

Em 2020, a atriz Regina Duarte foi a escolhida pelo presidente Jair Bolsonaro para coordenar o órgão em SP. Mas apesar do anúncio, ela não chegou a assumir o cargo.

Em junho de 2021, o governo federal lançou uma portaria interministerial na qual anuncia o chamamento público para contratação de uma entidade privada sem fins lucrativos, uma Organização Social (OS), para assumir as atividades de guarda, preservação, documentação e difusão do acervo audiovisual da Cinemateca Brasileira.

Com informações do site: Extra