domingo, 4 de julho de 2021

James Franco concorda em pagar R$ 11 mi para encerrar processo por abuso


 
Foto: Reprodução
James Franco, 43, concordou em pagar US$ 2.235.000 (mais de R$ 11 milhões) para encerrar um processo judicial movido por ex-alunas. Elas acusam o ator, que também dava aulas de interpretação, de tê-las coagido a fazer cenas de sexo explícito na frente das câmeras. O valor foi revelado nesta quarta-feira (30) por meio de documentos oficiais que foram divulgados pela Justiça americana. O acordo ainda precisa ser aprovado por um juiz.

O processo foi aberto em outubro de 2019 por Sarah Tither-Kaplan e Toni Gaal. Elas afirmaram à Justiça americana que Franco e seus parceiros no curso de atuação “se envolveram em comportamento impróprio e com conotação sexual em relação a estudantes do sexo feminino”. Segundo contaram, elas pagavam US$ 300 (cerca de R$ 1.490) por mês para estudar na escola de atuação aberta pelo ator e seu parceiro, Vince Jolivette. No entanto, elas dizem que ele usava o poder como professor e empregador para sexualizá-las.

As alunas diziam se sentir intimidadas e sexualmente objetificadas. Elas afirmam que quem se dispunha a se despir na frente de Franco e de seus amigos recebia tratamento especial. Os advogados de Franco negam as acusações e dizem que elas são “falsas e inflamadas, legalmente infundadas e movidas como uma ação coletiva com o objetivo óbvio de obter o máximo de publicidade possível para os Requerentes ávidos por atenção”.

Caso o acordo se confirme, as alunas estariam legalmente desistindo de prosseguir com o processo. No entanto, como se trata de uma ação coletiva que inclui outras colegas, estas últimas teriam um prazo de dois meses para decidir se preferem prosseguir com o caso. Segundo a imprensa americana, o valor total do acordo ficaria dividido assim: US$ 840 mil (mais de R$ 4 milhões) iriam para as demandantes principais, sendo US$ 670.500 (R$ 3,3 milhões) para Tither-Kaplan e US$ 223.500 (R$ 1,1 milhão) para Gaal. Os demais US$ 1.341.000 (R$ 6,6 milhões) iria para as demais participantes da ação coletiva.

O acordo prevê ainda que as partes divulguem uma declaração conjunta. “As partes e seus advogados estão satisfeitos por ter resolvido partes desta disputa e do processo pendente”, dirá o texto. “Embora os réus continuem a negar as alegações da queixa, eles reconhecem que as requerentes levantaram questões importantes”, prossegue. “Todas as partes acreditam firmemente que agora é um momento crítico para se concentrar em lidar com os maus-tratos às mulheres em Hollywood.”

“Todos concordam com a necessidade de garantir que ninguém na indústria do entretenimento -independentemente de sexo, raça, religião, deficiência, etnia, origem, gênero ou orientação sexual- enfrente discriminação, assédio ou preconceito de qualquer tipo”, encerra o comunicado. James Franco concorda em pagar R$ 11 mi para encerrar processo por abuso


Com informações do site: jornaldebrasilia