domingo, 4 de julho de 2021

Menina de 10 anos com condição rara morre ‘de velhice’


 
Foto: Reprodução

Iryna ‘Irochka’ Khimich, de apenas 10 anos, morreu na última quarta-feira, 30, em decorrência de uma condição genética rara chamada síndrome de Hutchinson-Gilford. A doença, que também é muito conhecida como progéria, faz com que crianças acabem envelhecendo em um ritmo muito mais acelerado do que o normal. As informações foram divulgadas pela revista Crescer.

Iryna era pintora e vendia seus quadros para poder pagar um tratamento nos Estados Unidos. Segundo informações passadas por médicos, a menina possuía uma estrutura corporal muito semelhante a de um idoso de ao menos 80 anos. Além disso, a cada ano que se passava, o organismo da artista envelhecia quase 10 anos.

Após a morte da menina, sua mãe, Dina, de 39 anos, usou as redes sociais para lamentar o ocorrido. Divulgando a morte da filha, Dina disse que o coração da menina parou e pediu desculpa por não ter conseguido a salvar desta vez.

A síndrome que Iryna sofria é causada pela mutação de um gene que acaba levando ao acúmulo da proteína “progerina”, que é a responsável por desencadear um processo de envelhecimento muito mais rápido do que o normal. Iryna começou a desenvolver os primeiros sintomas de um envelhecimento precoce quando tinha apenas 1 ano e meio de idade.

De acordo com informações divulgadas pela Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz), entre os primeiros sintomas da doença estão a queda de cabelo, a pele enrugada e fina, lábios finos e ainda a voz anormal. Ainda de acordo com informações, crianças que sofrem com esse tipo de síndrome vivem em média até os 13 anos.

Com informações do site: i7 News.