quarta-feira, 7 de julho de 2021

Mulher trans é brutalmente assassinada a tiros e pauladas


 

O corpo da vítima foi encontrado às margens de um rio. A família acredita que o crime tenha sido motivado por transfobia

Crismilly Pérola, uma mulher trans de 37 anos, foi morta ao sair de uma festa na comunidade de Beira rio, em Recife. O corpo foi encontrado às margens do rio Capibaribe. Testemunhas afirmaram à polícia que a vítima foi abordada na saída do evento, e teria então sido arrastada e assassinada a pauladas e com um tiro na cabeça. 

As autoridades ainda investigam se o crime foi cometido somente por uma ou mais pessoas.
Parentes acreditam que o assassinato tenha sido motivado por transfobia, sendo que há um mês, Piu Piu, como é apelidada, já havia sido hospitalizada após ser agredida em um bar.

Os conhecidos afirmam que ela era muito querida na comunidade.
Em Manaus, mulher trans também foi assassinada a pauladas.

Na madrugada do dia 24 de abril, a trans Andresa Santos, de 36 anos, também foi morta a pauladas. O caso aconteceu na rua Lobo D'Almada, bairro Centro, zona Sul de Manaus. A autoria e as causas do homicídio ainda não foram confirmadas pela polícia até hoje. 

Na época do crime, a irmã da vítima contou que Andresa era uma mulher cheia de sonhos, planejava cursar faculdade de Estética, e fesejava também iniciar o processo de redesignação de gênero.

Brasil: campeão de assassinato de transsexuais

Os assassinatos de Crismilly e Andresa estão longe de ser considerados casos isolados de violência contra as pessoas trans. De acordo com a Associação Nacional de Travestis e Transexuais (Antra), o Brasil é o país que mais mata travestis e transexuais no mundo, com uma morte a cada 48 horas.

Com informações do site: emtempo