terça-feira, 27 de julho de 2021

O caso da mulher que foi atingida diretamente por um meteorito e sobreviveu


 


Foto: Reprodução

Uma mulher sobreviveu após ser atingida em casa por um meteorito e vira história de quadrinhos.
O fato muito curioso aconteceu dia 30 de novembro de 1954, em uma cidade chamada Sylacauga, no sul dos Estados Unidos. Por vota das 12h45, quando estava cochilando no sofá que ficava na sala de sua casa,  Ann Elizabeth Hodges foi atingida diretamente por um meteorito de quase quatro quilos e 18 centímetros de diâmetro, e sobreviveu.
Antes de chegar à sua casa e atingir a mulher em sua sala, o objeto do espaço teria passado antes sob o telhado de uma residência vizinha. Por ser quase impossível imaginar que alguém sobreviveria ao impacto de um objeto vindo diretamente do espaço, Ann acabou se tornando uma espécie de celebridade por alguns meses.
Mas a fama durou pouco. Ann e seu marido Eugene não conseguiram realizar o sonho de faturar uma altíssima quantia pelo meteorito que caiu em sua casa e acabaram voltando para o anonimato em pouco tempo.

História foi contada em quadrinhos

A história inusitada acabou gerando alguns frutos ao casal anos após o ocorrido. A autora de quadrinhos Fabian Roché decidiu usar a curiosidade para escrever sua primeira história em quadrinhos. A escritora justificou a escolha como sendo uma história inspiradora, já que realmente sobreviveu a uma colisão com um meteorito vindo direto do espaço.
Fabian, que nasceu 33 anos após o ocorrido, decidiu em sua história expor como a mídia tratou o caso, mostrando recortes de jornais, relatórios oficiais do caso, algumas fotografias e também alguns relatos do casal que vivenciou toda a cena. A escritora também aproveitou para explicar a sua versão científica do acontecimento. 
A obra foi lançada com o nome “O meteorito de Hodges” e possui 71 páginas, podendo ser adquirido pelo preço de€ 18,25 (R$ 116 na cotação atual). A obra deu uma acentuada na história e faz com que a protagonista vá em busca de recuperar o meteorito que tem o Ministério da Defesa e a NASA de olho.

Com informações do site: 1news.ig