sexta-feira, 27 de agosto de 2021

Cantora de forró diz que foi sequestrada, desaparece das redes sociais e gera preocupação


 


Foto: Reprodução

 A cantora Juliana Caetano, conhecida nas redes sociais como Juliana Bonde, usou seu perfil no Instagram, após dois meses sem nenhuma postagem, para relatar que foi vítima de um sequestro-relâmpago dentro da própria casa, no interior de São Paulo, na noite do último sábado (21).

"Meu pai desceu duas da manhã gritando, falando que minha mãe estava passando mal. Ele começou a chutar a porta, isso me assustou. Quando eu desci e abri a porta, um homem já puxou o meu cabelo, colocou uma arma nas minhas costas e mandou a gente entrar", contou a modelo, abalada. 

"Depositaram muito dinheiro da minha conta, levaram também todo o dinheiro que eu tinha em casa. Não sei que besteira da minha cabeça, inocência, eu deixava quase todo o meu dinheiro em casa num cofre. Levaram tudo, levaram meu equipamento de trabalho, minhas câmeras. Mas isso é o de menos. O que foi pior é o trauma, ver a tristeza do meu pai", completou. 

A cantora ainda contou que fez boletim de ocorrência e que suspeita que o responsável é alguém próximo. "[Ele] sabia tudo, sabia onde estava o dinheiro, sabia onde estavam dormindo meu pai, minha mãe. E eu queria muito pedir para alguém me ajudar."

Segundo Juliana, há um tempo, ela vem recebendo ameaças de morte e precisa mudar de casa constantemente. "Estou pensando em ir embora do Brasil, eu amo muito morar aqui, mas não sei se vale a pena ficar arriscando a minha vida e a da minha família. Só quero voltar a viver normalmente", afirmou. 

 

O caso

Nessa terça-feira (24), o Fofocalizando entrou em contato com a equipe da cantora e recebeu um vídeo exclusivo enviado pelo empresário de Juliana, Edivaldo Oliveira, que afirmou que a casa estava em reforma e havia acabado de ser restaurada pela modelo. 

Segundo depoimento da equipe da cantora, o sequestro foi cometido por cinco pessoas, que entraram primeiro no sítio vizinho ao de Juliana e amarram os donos do imóvel. Após os vizinhos serem obrigados a apontar a localização da casa da cantora, os criminosos mantiveram os donos do sítio amarrados e deixaram o local.

Já na casa de Juliana, os pais de modelo foram os primeiros a serem abordados e foram pressionados a chamar a cantora. De acordo com as vítimas, os criminosos carregavam facas, uma metralhadora e armas de fogo. 

"A primeira coisa que eles fizeram foi amarrar toda a família. Depois, eles pegaram a Juliana e perguntaram: 'onde está o dinheiro?', como se eles soubessem que havia dinheiro lá dentro. Juliana foi acompanhada com uma arma na cabeça até o cofre que ela tinha e lá dentro havia R$ 400 mil em espécie", contou a jornalista Gaby Cabrini, que conversou com os envolvidos, ao Fofocalizando. 

A cantora ainda teria sido obrigada a fazer uma transação de R$ 50 mil e foi humilhada pelos criminosos. "Eles abriram champagne para comemorar o dinheiro em espécie que eles haviam encontrado. E outro detalhe terrível: eles pegaram o celular pessoal de Juliana, começaram a olhar suas fotos e dizer: 'nossa, você é uma gostosa, a gente só não te estupr* porque a gente é bandido bom'", afirmou Gaby. 

Somente após a confirmação da transação, por volta das 6h da manhã, que os invasores foram embora.


Com informações do site: SBT