sábado, 7 de agosto de 2021

Caso Miguel: mãe tenta tirar a vida na cadeia; corpo do menino ainda não foi encontrado


 
(ARQUIVO PESSOAL YASMIN VAZ)
O corpo de Miguel dos Santos Rodrigues, de 7 anos, ainda não foi encontrado pelo Corpo de Bombeiros. A Polícia Civil não tem dúvidas de que o garoto está morto, mas desconfia que o corpo pode não ter sido jogado no Rio Tramandaí, em Imbé, no Rio Grande do Sul, como contou a mãe da criança, Yasmin Rodrigues.

A mulher de 26 anos confessou o crime cometido no dia 28 de julho. Após espancar e dopar o filho, Yasmin, que foi presa, diz ter jogado o corpo no rio. Neste sábado (7), as buscas devem prosseguir. A companheira de Yasmin, Bruna Nathiele, de 23 anos, também foi detida.

Vídeo divulgado pela Polícia Civil mostrou a madrasta torturando o menino psicologicamente. O menino tinha um caderno onde escrevia que era mal e que não merecia a mãe que tinha, entre outras frases que confirmam a tortura.

Segundo pessoas próximas, Yasmin mudou com o garoto depois de conhecer Bruna. Em print de conversa pelo WhatsApp divulgada pela polícia, Yasmin planejava comprar uma corrente para amarrar o menino que vivia preso dentro de um armário.

Mãe de Miguel tenta tirar a própria vida

Yasmin Rodrigues teria tentado tirar a própria vida na prisão. O mesmo havia acontecido com Bruna, que acabou transferida para outra unidade prisional. Desde a morte do menino ter sido confirmada, a polícia descobriu que a avó materna havia tentado adotar a criança. O pai de Miguel, que era ausente, também apareceu e disse, em entrevista ao site GaúchaZH, que não sabia que o filho era maltratado. O caso abalou a pequena cidade de Imbé.

Com informações do site: GAUCHAZH