terça-feira, 10 de agosto de 2021

Em Brasília, Walkyria Santos pede lei contra bullying em nome do filho


 
(Foto: Reprodução/Instagram)
Walkyria Santos foi para Brasília, uma semana após a morte de seu filho Lucas Santos, de 16 anos, para pedir uma lei contra cyberbullying com o nome do menino. De acordo com ela, a morte do jovem causada pelos comentários maldosos que recebeu em uma rede social.

"Me ajudem, marquem os deputados federais de suas cidades e também os senadores... Sozinha eu não consigo, mas juntos conseguiremos, tem alguma "mãe" me ouvindo???", escreveu ela na legenda da publicação , onde usou a hashtag #LeiLucasSantosJá.

No vídeo, Walkyria disse que lutará o quanto puder em prol da punição de pessoas que usam as redes sociais para ofender outras.

"Hoje faz sete dias que perdi meu anjo. Meu príncipe. Mas não quero chorar. Hoje não vai ser dia de choro, não. Hoje vai ser dia de luta e vitória. Cheguei em Brasília, estou em Brasília. Quero pedir a todos os deputados federais, da Paraíba, do RN, Alagoas, Pernambuco. Brasil. Aos senadores que, por favor, votem na lei Lucas Santos em caráter de urgência. Eu não salvei meu filho, mas a gente pode salvar o seu", disse ela, emocionada.

Em seguida, acrescentou: "Hoje, não vou chorar, vou lutar. Preciso do apoio de todos vocês. Me ajudem, peçam, marquem, me ajudem! Com essa lei vai haver punição aos ataques, sejam homofóbicos, para denegrir a imagem, para diminuir as pessoas. A gente precisa parar com isso. A gente precisa parar essas pessoas que usam a internet para o mal."

Com informações do site: R7