sábado, 7 de agosto de 2021

Fazendeiro é suspeito de estuprar menino e dar iogurte de “recompensa”


 
(Foto: Reprodução)
No Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração de Crianças e Adolescentes, um fazendeiro de 65 anos foi preso, nesta terça-feira (18/5), suspeito de estuprar um menino de 7 anos, em Piranhas, na região oeste de Goiás, a 332 quilômetros de Goiânia. De acordo com a investigação, o garoto é filho dos caseiros contratados para trabalhar na fazenda do suspeito, que, como “recompensa”, chegou a dar iogurte e suco para a vítima.


Segundo o delegado Igor Dalmy Moreira, o suspeito contratou a família da vítima para trabalhar em sua fazenda em abril de 2021. A partir de então, de acordo com a investigação, o fazendeiro passou a aliciar o menino para ir até a sede da fazenda, onde ele exibia vídeos adultos, se masturbava na frente da criança, apalpava seu corpo e o incentivava a fazer o mesmo.

“Além disso, na noite de 1º de maio de 2021, o fazendeiro levou o menino sozinho para a cidade de Piranhas, e, em uma rua deserta no Setor Morada Nova, tirou a roupa do garoto e o estuprou no local”, afirma Moreira. O nome do suspeito não foi divulgado. Como “recompensa”, segundo o delegado, o fazendeiro lhe comprou um iogurte e um suco. “A criança passou dias reclamando de dores na virilha e no bumbum e precisou receber atendimento médico. Quatro dias depois, ainda estava com lesões corporais decorrentes do ato”, acrescenta.

Despejados: No dia seguinte ao estupro, de acordo com o delegado, o fazendeiro demitiu a família da criança estuprada, e eles tiveram que desocupar a casa onde moravam. O nome do menino também não foi divulgado para preservá-lo, conforme prevê o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA). Durante a prisão do fazendeiro, a Polícia Civil ainda apreendeu com ele uma arma de fogo, uma arma de pressão e diversas munições, sem autorização legal.

Carcaça de animal: A polícia encontrou, ainda, uma carcaça de cão apodrecendo dentro da casa na fazenda, evidenciando que o animal estava trancado e sem acesso a alimento. O suspeito também responderá pelos crimes de posse irregular de arma de fogo e maus tratos a animal que resultaram em morte.

Com informações do site: FALA NORDESTE