quinta-feira, 5 de agosto de 2021

Genética ou cansaço? Saiba como identificar os tipos de olheiras, suas causas e tratamentos


 
(Foto: Reprodução)
As olheiras, aquele excesso de vasos sanguíneos ou melanina acumulados na pálpebra inferior, incomodam muita gente e os motivos deste problema podem ser inúmeros, sendo as causas mais comuns os históricos familiares, exaustão, falta de sono, alergias, coçar os olhos e exposição excessiva ao sol. De acordo com a enfermeira esteta Gabriela Pedrosa, da Unna Estética, existem quatro tipos de olheiras – estrutural, pigmentada, vascular e mista - e tratamentos para todas elas.

Segundo Gabriela Pedrosa, cada tipo de olheira tem características bem marcantes, como a coloração e profundidade, que são determinadas pela sua causa. As estruturais são aquelas causadas pela perda de elasticidade natural da pele, cuja flacidez cria bolsas na região, mudando a sua tonalidade. Já as pigmentadas são as mais escuras (geralmente amarronzada), causadas pelo ao acúmulo de melanina na região; as olheiras vasculares variam a tonalidade, indo do rosa ao arroxeado e existem devido ao excesso de retenção de líquido, má circulação sanguínea e ao acúmulo de hemoglobina na região dos olhos e as mistas, que são as mais comuns e se caracterizam pela associação de mais de um tipo.

A especialista alerta sobre a necessidade do acompanhamento de um profissional, que irá indicar o melhor tratamento para cada tipo de olheira. “A prioridade é melhorar a circulação na região e cada tipo de olheira reage de forma diferente aos tratamentos, por isso não tem como determinar apenas uma solução. Entre os mais realizados estão a ozonioterapia, laser, luz pulsada, preenchimento e fios de colágeno”, explica Gabriela Pedrosa.

Prevenção

Quem tem interesse em prevenir o surgimento de olheiras, que é dos mais comuns problemas de beleza, pode seguir algumas recomendações da especialista: evitar coçar a área dos olhos, para não correr o risco de romper os vasos sanguíneos da região, ter uma boa noite de sono, retirar corretamente a maquiagem e não esquecer da hidratação e uso do filtro solar. “É mais fácil a prevenção quando as olheiras não são hereditárias. Mas, até nestes casos, os cuidados amenizam bastante o problema”, orienta a enfermeira esteta.

Com informações do site: PORTAL SBN