quarta-feira, 4 de agosto de 2021

Para se defender, mulher dá facada em Amásio


 
Foto: Reprodução

Uma mulher atentou contra a vida de seu amásio, na noite desta segunda-feira (02), no Beco Ipanema, bairro Brejinho. De acordo com a Polícia Militar, uma solicitação ao SAMU relatava uma ocorrência de homicídio no endereço supracitado.

No local, a guarnição deparou-se com J.A.S., 55 anos, caído no chão da cozinha da casa sendo atendido pela equipe do SAMU USB 72, sob comando da técnica de enfermagem, Cristiane. Foi percebido que J. estava desorientado e com uma perfuração no abdômen com intenso sangramento. Devido ao estado saúde da vítima, a equipe do SAMU rapidamente procedeu os primeiros socorros e o encaminhou ao Hospital Municipal de Sete Lagoas, onde foi atendido e permaneceu internado para ser submetido a cirurgia.

Em contato com a sra. V.F.D. 59, autora das agressões, ela foi informada de todos seus direitos constitucionais, entre os quais, o de não produzir provas contra si. Em seus relatos, ela disse que, na parte da manhã de segunda-feira (02), estava na residência em que mora junto ao amásio, J., momento que ele passou a agredi-la com socos na região da cabeça. Após as agressões, ela relatou que foi obrigada por ele a sair da residência.

Já na parte da tarde, ao retornar para a casa, V. narrou que ele continuou a agredi-la com socos na região cabeça, além de utilizar também uma colher de madeira que quebrou devido aos golpes desferidos contra ela.

Em dado momento, V. relatou que conseguiu desvencilhar-se de J. e correu para a cozinha da residência, momento em que tentou esconder-se debaixo das pernas de J. para evitar as agressões. Nesse instante ela pegou uma faca que estava no interior do armário, e para se defender, golpeou o amásio na região do abdômen vindo ele a cair ao solo.

Segundo V., ela mesma acionou a equipe do SAMU, uma vez que J. estava com intenso sangramento e caído ao solo. Ela queixou-se de dores no braço direito, além de apresentar hematoma no pescoço e lesão no lábio superior, sendo encaminhada ao Hospital Municipal, onde foi atendida.

Ressalta se que, em consulta ao sistema Reds, foi constatado que V. fora agredida outras vezes por J. Em contato com a equipe de patrulhamento de prevenção à violência doméstica, foi constatado que no ano de 2020, a mencionada equipe ofertou à sra. V. o serviço de acompanhamento (assistência e orientação), todavia, ela disse não ser necessário, uma vez que já possuía medida protetiva de urgência. V. também apresentou medida protetiva de urgência de 04/12/2019, portanto vencida.

Compareceu ao local da ocorrência a advogada que acompanhou V. ao hospital (onde conversou reservadamente com sua cliente) até o encerramento do registro na delegacia.

Com informações do site: PORTAL SETE