terça-feira, 10 de agosto de 2021

Príncipe Andrew é processado por abuso sexual de menor de idade nos EUA


 
Foto: Reprodução

O príncipe Andrew, filho da rainha Elizabeth II e do príncipe Phillip, é alvo de um processo nos Estados Unidos por abuso sexual de uma menor de idade, revelou a mídia norte-americana nesta terça-feira (10).

A mulher que acusa o membro da monarquia é Virginia Giuffre, uma das vítimas do tráfico sexual de menores promovido pelo bilionário Jeffrey Epstein, que se matou na prisão em 2019.

Giuffre apresentou a denúncia informando que foi abusada por Andrew em três ocasiões, quando tinha 17 anos, em Londres, em Nova York e na casa de Epstein nas Ilhas Virgens. Em sua acusação na Corte Federal de Manhattan, Giuffre afirma que o príncipe sabia que ela era menor de idade e disse que era obrigada a fazer sexo por ordens de Epstein e de sua cúmplice, Ghislaine Maxwell.

"Neste país, nenhuma pessoa, seja presidente ou príncipe, está acima da lei, e nenhuma pessoa, não importa o quão impotente ou vulnerável, pode ser privada da proteção da lei. 20 anos atrás, a riqueza, o poder, a posição e as conexões do príncipe Andrew permitiram que ele abusasse de uma criança amedrontada e vulnerável, sem ninguém para protegê-la. Já passou da hora de ele ser responsabilizado", diz um trecho do documento obtido pela emissora britânica "BBC".

Andrew negou as acusações e disse que não conhece Giuffre, nem nunca a viu. Mas, voltou a reconhecer que sua amizade com Epstein foi um erro.

Desde o fim de 2019, Andrew praticamente sumiu dos eventos públicos por conta do escândalo envolvendo Epstein. Em novembro daquel e ano, ele publicou um comunicado em que dizia que iria se afastar das atividades públicas "por tempo indeterminado" e com a autorização da rainha Elizabeth II.

Ainda na nota oficial, o príncipe afirmou que sua relação com o bilionário se tornou um "grande estorvo" para a família real britânica que o suicídio do criminoso "deixou perguntas sem resposta, principalmente, para suas vítimas e expresso minha compaixão mais profunda com qualquer um que tenha sido afetado e esteja buscando uma forma de virar a página".

Com informações do site: iG MAIL