segunda-feira, 30 de agosto de 2021

Sobrinha de vendedora encontrada queimada após ser agredida por marido pede justiça: ‘Destruiu uma família’


 
Foto: Reprodução

A sobrinha da vendedora Vanessa Rodrigues da Silva, de 31 anos, que foi encontrada morta depois de ser agredida pelo marido pede a prisão do homem, que é o principal suspeito de cometer o crime. O corpo da vítima foi encontrado na sexta-feira (27) dentro de um saco de lixo no quintal da fazenda do investigado, em Novo Planalto, na região noroeste de Goiás.

“Ele destruiu uma família. Queremos ele preso para, pelo menos, amenizar a dor que estamos sentindo. Ele nunca vai conseguir pagar pelo o que ele fez, mas com ele na cadeia estaremos mais sossegados”, afirmou Beatriz Ferreira.

O G1 não conseguiu localizar a defesa do suspeito para que pudesse se posicionar sobre o caso. Até a manhã deste sábado (28), ele ainda não havia sido localizado pela polícia.

A dona de casa Genilva Rodrigues da Silva, irmã da vendedora, contou que foi ao local na sexta-feira para reconhecer o corpo da irmã, junto com a polícia. Ela disse que conseguiu identificar o celular de Vanessa e outros pertences. O delegado Luciano Santos confirmou à reportagem que se trata do corpo da vendedora, mas não deu mais detalhes do caso.

“Ele queimou ela e a colocou em dois sacos de lixo. Na porta da fazenda mesmo, no terreiro. A gente até foi lá antes, a polícia também. Vimos esse saco lá, mas nem imaginamos que ela estava dentro”, contou a irmã da vítima.
De acordo com a polícia, o marido da vendedora se tornou o principal suspeito pelo desaparecimento após a mulher pedir socorro a vizinhos quando era agredida por ele, em Porangatu. Vanessa sumiu em 11 de agosto. Cinco dias depois, sem conseguir contato com ela, a família registrou ocorrência.

No mesmo dia em que o boletim foi registrado, o delegado esteve na casa do marido e encontrou arma e munição. Ele foi preso, mas pagou fiança e deixou a delegacia, antes de ter a prisão preventiva autorizada pela Justiça. Desde então, ele segue foragido e é investigado por feminicídio.

Casal estava separado



Em entrevista ao G1, antes de o corpo da vendedora ser encontrado, a irmã dela contou que tentou contato com Vanessa por ligação e mensagens, mas não conseguiu retorno.

“Há 1 ano eles não estão mais juntos e dormem em quartos separados. Ela vende celulares e trabalha de casa, pois ele é muito ciumento e não deixa ela trabalhar fora", disse a irmã.
A sobrinha da vendedora informou que os filhos do casal, de 5 e 11 anos, estão com a mãe de Vanessa até que o caso seja resolvido. Segundo ela, o casal estava junto há 15 anos e vivia um relacionamento conturbado.

"Nós da família sempre achamos ele estranho. Ele tinha um olhar forte para as mulheres da família e tinha ciúmes dos próprios sobrinhos da Vanessa", contou.

Com informações do site:  G1