sexta-feira, 17 de setembro de 2021

Com casa incendiada, dona de casa tenta comercializar obras de arte para construir nova residência!


 
Foto: Reprodução
Eliane Borges da Hora Silva, de 52 anos de idade, moradora do Caminho Itaberaba, bairro Jardim Cruzeiro em Feira de Santana, teve a casa incendiada na última terça-feira (14).

Uma única vela acesa causou o incêndio, fazendo com que Eliane e seu esposo perdessem grande parte dos cômodos da residência.


Ao Acorda Cidade, a moradora contou que a vela foi acesa no dia anterior, na segunda-feira (13), para comemorar seu aniversário, mas ao sair no dia seguinte, esqueceu de apagar.

"Eu acendi a vela no dia do meu aniversário para comemorar mais um ano, eu estava junto com meu esposo e foi o momento de pedir ao Senhor bênçãos no meu caminho, para que eu pudesse vender os meus trabalhos. Acabei esquecendo a vela acesa e no outro dia fui ao médico, quando retornei, a vela já tinha destruído praticamente toda a casa. Perdi cama, guarda-roupa, armário da cozinha, geladeira, fogão e, infelizmente, não deu para recuperar muita coisa", disse.

Eliane que tem epilepsia, também perdeu todos os medicamentos no incêndio. Porém, muito antes do acontecido, a dona de casa já realizava trabalhos de pintura, e é com a comercialização de suas obras que ela pretende conseguir reformar a casa e comprar novos medicamentos.

"Eu gosto de pinturas artísticas, gosto de fazer pinturas em alto relevo, faço cardeais, faço trabalhos em madeira como joguinhos, reciclagem com garrafas de refrigerante e saio oferecendo ao povo. Infelizmente, eu não sou aposentada, então o que consigo juntar, é para comprar alguma coisa, como alimento, uma roupa, as pessoas estão nos ajudando com doações e principalmente com meus remédios", afirmou.


De acordo com dona Eliane, os quadros chegam a custar cerca de R$ 800 até mil reais, mas infelizmente segundo ela, as pessoas não valorizam o trabalho e todos os produtos acabam sendo vendidos com um valor mais inferior.

"O povo não dá o valor que realmente é, só querem pagar o valor a menos e por necessidade, eu acabo vendendo. Para produzir quadros como estes, eu necessito da tinta de tecido, o pincel, verniz e levam aproximadamente três dias para ficarem prontos. As pessoas até acham bonito todos os quadros, mas não querem pagar o valor exato", destacou.


Para produzir alguns quadros, dona Eliane Borges contou ao Acorda Cidade que conta com o apoio de algumas pessoas com o recebimento de materiais, como molduras e tintas.

"Eu recebo doações de telas, algumas pessoas têm essa caridade comigo, sabem que sou uma mulher guerreira, luto por minha sobrevivência e conseguem me dar alguns materiais, para que eu consiga vencer na vida. Nesse momento agora, eu e meu esposo de 65 anos, estamos morando de favor na casa da nossa sobrinha, até que eu possa arrumar um cantinho para voltar de novo e me sentir feliz e em paz", salientou.

Como forma de contribuir na construção de uma nova casa, a sobrinha de dona Eliane, Rahenna Santos Silva, criou uma campanha na internet, através da Vaquinha Online, para angariar fundos e ajudar tanto na construção, quanto na compra dos medicamentos.

"Inicialmente nós conseguimos através de um grupo de WhatsApp, o baleado das mamães, e foi através delas, que o pessoal foi divulgando em outros grupos a nossa campanha. A vaquinha foi criada com meus dados, porque infelizmente toda documentação deles, foram queimadas no fogo, então foi pensando nisso que nós criamos essa vaquinha e todo dinheiro que for arrecadado, será direcionado para comprar os materiais para construir a casa, e todas as notas fiscais serão publicadas", explicou.


De acordo com Rahenna, parte da estrutura da casa foi danificada, precisando fazer o alicerce novamente da casa. Ainda segundo ela, dois pedreiros voluntários estão ajudando também na campanha, para que a casa de dona Eliane seja entregue novamente.

"Nós estamos precisando de contribuições para os materiais de construção, porque realmente a casa dela vai precisar ser levantada do zero, algumas paredes por conta do fogo apresentaram rachaduras. Nós ainda não temos uma base de quanto será gasto, mas ontem dois pedreiros estiveram na casa, e agora estamos no aguardo da avaliação deles. Conseguimos também o apoio de dois grupos aqui da cidade, como o Projeto Mãos Valiosas e o Projeto do Bem, eles estiveram aqui, fizeram uma entrevista com ela, para também adquirir os materiais por meio de doações", informou.

Além do material de construção, Rahenna também explicou ao Acorda Cidade, que doações também estão sendo recebidas de produtos de higiene e roupas, pois segundo ela, tanto dona Eliane, quanto o esposo, ficaram apenas com as roupas do corpo.

"Nós estamos adquirindo algumas roupas, porque infelizmente tudo foi queimado e eles estavam apenas com as roupas do corpo. s Noticias Meio de Post --> Nós conseguimos algumas peças, doação de alimentos, produtos de higiene, sapatos e colchões para eles estarem dormindo", disse.

Ainda segundo a sobrinha de dona Eliane, uma rifa será confeccionada para sortear algum dos quadros feitos pela dona de casa.

"A gente está com uma rifa, e todo o dinheiro que for arrecadado será incluso na vaquinha para que possamos estar ajudando ela", concluiu.

Quer ajudar?

Para ajudar dona Eliane e seu esposo, entre em contato pelo (75) 99102-6999.


Com informações do site: acordacidade, Gabriel Gonçalves.