segunda-feira, 6 de setembro de 2021

Comissão recebe denuncia que pais ‘alugam’ crianças para pedir dinheiro em ruas de Manaus


 
Foto: Reprodução

Foi realizada nessa sexta-feira (03) em oito pontos estratégicos de Manaus, a terceira ação da campanha “Não dê dinheiro, dê futuro!”. A ação é iniciativa da Comissão de Promoção e Defesa das Crianças, Adolescentes e Jovens da Assembleia Legislativa do Amazonas (CPDDCA-Aleam), presidida pelo deputado estadual, Álvaro Campelo (Progressistas), em parceria com Conselheiros Tutelares de Manaus.

A campanha tem como objetivo conscientizar a população amazonense ao aparente gesto de solidariedade de dar dinheiro para crianças e adolescentes em sinalização de trânsito, pois contribui para que eles sejam explorados. Durante a ação foi confirmada três denúncias, duas das quais, foram feitas por vendedores ambulantes.

Segundo denúncia feita por um vendedor que fica em um dos semáforo da Bola do Eldorado, denunciou que sempre ver no sinal várias crianças pedindo. “A gente vai falar e dizem que o sinal não é nosso e ameaçam até com faca. Tem um cara que usa os dois filhos dele e traz mais duas crianças alugadas pra pedir. Cansei de ver a criança recebendo o dinheiro e quando o sinal abre ele vai lá e toma tudo. Se elas se recusarem, ele sai dando lambada nelas, forçando pra que elas voltem pra pedir”, denunciou.

O deputado orienta que as denúncias sobre qualquer tipo de exploração ou abuso contra crianças e adolescentes podem ser feitas ao Disque 100, aos Conselhos Tutelares ou para a Comissão da Aleam: (92) 99111-0112. “Compreendemos perfeitamente a situação de vulnerabilidade dessas famílias, mas que venham apenas os adultos para pedirem dinheiro nos semáforos. As crianças precisam estar na escola, ou brincando, não sendo exploradas. Nas ruas, elas estão correndo o risco de sofrerem um acidente, contraírem uma doença, ou de serem abusadas sexualmente. Precisamos contribuir para que elas tenham uma vida mais digna”, concluiu o deputado.

Segundos dados da Prefeitura de Manaus, foram registradas 69 denúncias de crianças nos semáforos, até maio deste ano, muitas delas são alugadas ou exploradas pelos pais. As equipes de abordagem social, ao verificarem as denúncias, identificaram 42 famílias, 72 crianças e 8 adolescentes em situação de exploração e mendicância.

Com informações do site: Portal CM7