quarta-feira, 15 de setembro de 2021

Moradores relatam tremor de terra em Guaimbê


 


Foto: Reprodução

Moradores de Guaimbê relataram nas redes sociais tremores de terra na madrugada desta quarta-feira (15).

A ocorrência foi registrada pelo Centro de Sismologia da USP. Segundo a USP, a Rede Sismográfica Brasileira registrou o tremor de terra, de magnitude de 3.6, com epicentro na cidade às 6h09. O abalo foi sentido entre Júlio Mesquita e Lins.

Moradores comentaram no Facebook que sentiram o tremor. Um dos internautas escreveu “Pensei que a casa estava caindo aqui”, outro disse que acordou com a cama mexendo e uma moradora contou que correu para rua ainda de pijama.

Essa é a segunda vez neste ano que tremores são sentidos em Guaimbê. Em março, o Centro de Sismologia da USP registrou um tremor de terra de magnitude 3.0.

Segundo o professor do Centro de Sismologia da USP, Marcelo Assumpção, o tremor é considerado de magnitude pequena e compatível com o fato de ter sido sentido num raio de 30 km.

“Pequenos tremores assim podem ocorrer em qualquer lugar do Brasil e se devem a pressões geológicas presentes da crosta terrestre. Não sabemos exatamente por que já ocorreram outros tremores em Guaimbê anteriormente, mas não é raro que algumas localidades no Brasil tenham tremores um pouco mais frequentes do que outras”, explica.

Ainda de acordo com o professor, tremores de magnitude até 4 raramente provocam algum dano, apenas susto em locais não acostumados com esse tipo de evento.

Outros casos
No ano passado, Tupã, também na região de Marília, registrou um tremor um pouco menor, de 2,4 a 2,5 de magnitude. O fenômeno também foi registrado pelo Centro de Sismologia da USP e pelo Observatório de Sismologia da Universidade de Brasília (UNB).

Na época, o professor do Observatório Marcelo Peres Rocha explicou que esses tremores de baixa magnitude são resultados da acomodação de placas tectônicas.

A cidade também registrou um tremor semelhante em 2018, de magnitude 2,8. Na época, um morador da cidade fez um registro ao vivo do fenômeno, que também foi sentido por moradores de Bastos e Herculândia. O Corpo de Bombeiros de Tupã recebeu mais de 100 ligações de pessoas assustadas sem saber o que tinha acontecido.


Com informações do site: G1