quinta-feira, 28 de outubro de 2021

Antes de ter fim trágico, jovem da Djalma Batista pediu ajuda e revelou tudo nas redes sociais


 
Foto: Reprodução
Na noite desta quarta-feira (27), um triste caso chocou a cidade. Um jovem, identificado como Luiz Paulo Soares de Araújo, de 21 anos de idade, acabou tirando a própria vida em uma passarela da avenida Djalma Batista, no bairro São Geraldo, na zona Centro-Sul de Manaus. 

De acordo com o Instituto Médico Legal (IML), era por volta das 21h quando o órgão foi acionado para a ocorrência. A Polícia Militar do Amazonas já estava no local e relatou que o jovem subiu a rampa da passarela, amarrou uma corda em seu pescoço, escalou a grade interna, amarrou a corda na grade e se jogou.  

O corpo de Luiz ficou pendurado na avenida por cerca de uma hora e meia. Os Bombeiros Militares do Amazonas (CBM-AM) foram responsáveis pela retirada do jovem da passarela, em seguida o IML removeu para o necrotério, onde ficou à espera dos familiares. 

Antes de cometer suicídio, o jovem chegou a postar na rede social uma foto da passarela, com a música “I’ll Never Smile Again”, que traduzido para o português diz: eu nunca mais vou sorrir de novo.

Com a repercussão do caso, relatos que Luiz escreveu nas redes sociais sobre desistir da vida, vieram à tona. Em um ‘tuite’ feito ainda em junho deste ano, o jovem relatou sua insatisfação com o disk ajuda do 188, da Central de Valorização da Vida, para pessoas que sofrem com depressão.

Em tom de ironia, Luiz escreveu que “Para mim, 188 é tão útil quanto mijar em um incêndio florestal”. Em outras palavras, o jovem quis dizer que ligar para o número é algo inútil, visto que há uma proporção grande de pessoas na espera de ser atendido.

Fazendo o teste, a equipe de reportagem ainda confirmou que o número se quer chama. Vai direto para a caixa postal.

Além deste ponto, o jovem também revelou que fez dívidas nos cartões para sentir lapsos de felicidade antes de morrer. “Se a pessoa realmente não tem escolha para viver, então por que não pegar um empréstimo ou usar cartões de crédito para se divertir”,  disse Luiz.  

Por fim, o jovem se despediu de todos e pediu perdão aos familiares pelo que foi decidido, por tirar a própria vida. Luiz se sentia cansado, sem esperança, na escuridão e com uma ferida na alma.

“Eu gostaria de ter sido um filho e uma pessoa melhor para se conhecer. Eu gostaria que tudo não tivesse acontecido assim, mas percebi que meu estado de espírito não é nada que possa ser consertado.  Eu meio que sinto que estou para sempre quebrado, destruído e danificado”, foram as últimas palavras de Luiz para a sua mãe.

O caso gerou comoção nas redes sociais e uma corrente de ajuda entre internautas foi montada, para evitar mais tragédias como essas. Você não está só, respire, sempre há uma solução.

Veja os relatos de Luiz nas rede sociais:








Com informações do site: CM7