quinta-feira, 14 de outubro de 2021

Após 1 ano da morte de Maradona, cubana acusa o ex-jogador de abuso sexual


 
Foto: Reprodução
Maradona está sendo acusado de abuso sexual contra a cubana Mavys Álvavez, após completar quase um ano de seu falecimento. O jogador teve um caso com a cubana há 20 anos, quando ela tinha apenas 16 anos.

Segundo informações, os dois se conheceram quando Maradona foi para capital de Cuba, Havana, para fazer um tratamento contra a dependência química.

Em uma entrevista, Mavys afirmou que viveu um relacionamento abusivo e que possui traumas psicológicos devido ao relacionamento conturbado com o jogador. A cubana disse ter si desprezada pois se recusava a participar de orgias com outras mulheres.

Os advogados da mulher alegam que, na época, ela era mantida em cárcere privado, sofria agressões físicas e verbais, era tratada como escrava sexual, era obrigada a usar drogas e ainda teria sido submetida a um procedimento estético nos seios contra a sua vontade.

O advogado Gastón Marano disse que Mavys só fez a denúncia agora porque temia por sua vida, já que o jogador era poderoso e tinha muitas amizades com políticos. “Ela tinha medo de Fidel Castro e do próprio Maradona. Esperou os dois morrerem para falar”, disse o advogado, em uma entrevista concedida para o programa Intratables.

O apresentador do programa, Diego Brancatelli insinuou durante a entrevista que a cubana esperou Maradona morrer para que sua versão da história não fosse contestada. “Estaria tão moralmente ferida com o que diz ter acontecido?”, disparou o repórter.

Ele ainda sugeriu que ela assine um termo para provar que não está inventado a suposta acusação, abrindo mão de uma indenização para mostrar que não está interessada na herança milionária que o jogador deixou.

O jornalista foi atacado em suas redes sociais, sendo chamado de machista, pois na sua opinião, Mavys se relacionou com o jogador porque quis, tendo o consentimento dos pais.

Com informações do site: TV PRIME