quarta-feira, 6 de outubro de 2021

Família é confundida com ladrões e passa constrangimento no Diamond Mall, em BH: ‘Sem reação’


 
Foto: Reprodução
Uma família de BH denuncia ter sido acusada de furto por funcionários da Luiza Barcelos, grife mineira de sapatos. As vítimas foram abordadas por policiais militares após saírem da unidade da marca no Diamond Mall, na região Centro-Sul da capital, no último sábado (2). O estabelecimento disse que as medidas cabíveis foram tomadas. O centro de compras, por sua vez, alegou estar colaborando com a “apuração dos fatos”.

A mãe e a tia de Fernanda Amorim estavam no shopping e passaram por algumas lojas, incluindo a Luiza Barcelos, antes da chegada da jovem e do pai dela. Em entrevista ao BHAZ, ela conta que foi até o estabelecimento para comprar um sapato e, quando já estava fora da loja, no estacionamento, foi abordada.

Fernanda comenta ter percebido um comportamento estranho, diferente dos funcionários de outra loja, com ela e o pai. “Acabamos sendo perseguidos pela vendedora que observava tudo que fazíamos. Quando a gente pegava em algum produto logo perguntava: ‘Vai querer levar?'”, lembra.

Apesar de ter achado o comportamento diferente, pai e filha prosseguiram e finalizaram a compra. A mãe de Fernanda chegou neste momento e, ao encontrar os dois, afirmou estar preocupada com a possibilidade de chover granizo no local. Por isso, eles decidiram deixar a loja e ir embora.

“Ele [pai] ficou preocupado da chuva chegar e danificar o veículo. Até queria ir tirar o carro sozinho, mas resolvemos acompanhá-lo, pois ele tem 70 anos e faz tratamento de câncer. Não gostamos que ande sozinho”, conta a jovem. O que eles não esperavam, no entanto, é que o problema fosse se agravar já na saída.

‘Saiam do carro agora’
O drama da família começou quando o pai de Fernanda foi tirar o carro da área descoberta. “Duas motos da Polícia Militar chegaram e nos cercaram pela frente. Os policiais gritavam: ‘Isso aqui é uma abordagem. Saiam do carro agora'”, conta.

Fernanda e os pais ficaram assustados e sem entender o motivo da abordagem. “Perguntamos o que aconteceu e eles não quiseram prestar informação. Estavam muito agressivos e mandaram aguardarmos a intimação chegar na nossa casa para sabermos. Debocharam da nossa situação”, relembra Fernanda.

Durante a abordagem, os documentos tiveram que ser apresentados aos policiais. Fernanda, que é advogada, então entregou a carteira da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) e finalmente soube da acusação feita contra a família.

“O policial disse que eu e minha mãe tínhamos sido identificadas como autoras do crime de furto em uma loja do Diamond. Ficamos chocadas e sem reação. Começamos a mostrar tudo que tínhamos comprado e as notas fiscais”, detalha.

Furto em data passada

Os policiais explicaram para Fernanda que o furto não tinha sido cometido naquele sábado, mas em outra data. “Descobrimos que o crime foi no dia 26 de setembro na Luiza Barcelos. A ocorrência falava que duas senhoras que cometeram o furto. Eu tenho 23 anos. Neste dia, a minha mãe estava em São Joaquim de Bicas”, conta a jovem.

Após o ocorrido, Fernanda denunciou a postura do estabelecimento nas redes sociais. Ela chegou a ser procurada pela loja Luiza Barcelos e pelo DiamondMall. “Pediram desculpas e isso é o mínimo, mas não repara tudo que aconteceu”, desabafa.

‘Em estado de choque’

A jovem também reclama do atendimento recebido ao procurar os responsáveis pelo Diamond Mall. “Quando chegamos no SAC do shopping fomos super mal tratados. Gritaram com a gente”.

A família de Fernanda vai levar o caso adiante e acionar a Justiça. Um boletim de ocorrêcias já foi registrado. Ela conta que o transtorno provocado no último sábado fez o pai passar mal: “Ele ficou em estado de choque e teve que ir para a enfermaria do shopping”.

O que dizem os envolvidos?

Por meio de nota, o Diamond Mall lamentou o ocorrido com a família de Fernanda e disse estar colaborando com a apuração dos fatos. “Tomamos todas as providências cabíveis para reforçar nossos protocolos de atendimento e garantir que sejam cumpridos”, diz trecho da nota (leia na íntegra abaixo).

A gerência da Luiza Barcelos também foi procurada pela reportagem e informou não havia “nenhuma informação a ser repassada”: “As medidas cabíveis estão sendo tomadas. Só isso que tenho a dizer”.

O BHAZ também questionou a PM sobre a abordagem realizada pelos militares, mas não obteve retorno até a publicação desta matéria. O texto será atualizado assim que a corporação se manifestar.

Fernanda foi até as redes sociais denunciar o que ocorreu. Ela chegou a ser procurada pela loja Luiza Barcelos e pelo DiamondMall. “Pediram desculpas e isso é o mínimo, mas não repara tudo que aconteceu”, desabafa.

Nota do DiamondMall

“O DiamondMall preza pelo bom atendimento a seus clientes e pelo bem-estar de todos os frequentadores do shopping, além de repudiar qualquer tipo de ação caluniosa. Tomamos todas as providências cabíveis para reforçar nossos protocolos de atendimento e garantir que sejam cumpridos. Lamentamos pelo ocorrido e estamos à disposição para colaborar com a apuração dos fatos”.

Com informações do site: BHAZ