terça-feira, 26 de outubro de 2021

Gerente do Carrefour faz vendedor se ajoelhar para limpar o chão


 
Foto: Reprodução

Um vídeo, que viralizou nas redes sociais, deixou muitos internautas revoltados. As imagens mostram uma gerente humilhando e fazendo um vendedor limpar o chão de uma loja de joelhos. O caso ocorreu em uma unidade do Carrefour em Campo Grande, capital do Mato Grosso do Sul.

Pelo vídeo é possível observar uma mulher em pé ao lado do homem de joelhos. Ela parece registrar o momento com um celular enquanto profere: “Olha aí, só pra você esse cara tem valor. Esses meninos, eles não limpam a casa deles”.

Segundo o portal "G1", o homem se chama Pedro Henrique Monteiro da Silva e tem 23 anos. Ele não soube precisar, mas garantiu que o caso ocorreu entre 26 e 30 deste último setembro. O vendedor explicou que uma fita, que demarcava o distanciamento para evitar a propagação da covid-19, teria deixado uma cola no chão, o que chateou a supervisora.
 
“Eu chamei a equipe de limpeza, eles tentaram tirar e também não conseguiram, disseram que precisava usar uma máquina. Eu falei para ela que não tinha como a equipe limpar, porque a máquina não estava na loja. Ela falou que eu tinha que fazer e já começou a ficar nervosa”, declarou.
 
Pedro alertou ainda que não sabia que havia sido filmado e garantiu que o modo de agir da gerente não reflete o trabalho de outros funcionários do Carrefour: “Já é costume ela ser assim, desde que chegou. Mas eu não queria mídia, não queria manchar o nome da empresa. Eu tinha outros gerentes muito bons. Eles me deram uma oportunidade, eu quero crescer. Tenho medo de ser demitido”.

Posição do Carrefour
A reportagem entrou em contato com a assessoria do Carrefour para ouvir a posição da empresa. Em nota, a rede de supermercado disse que afastou, por hora, a supervisora envolvida no vídeo e que vai apurar o caso. “O Carrefour repudia todo e qualquer comportamento indevido por parte de seus colaboradores. Estamos apurando o caso internamente e, por ora, houve o afastamento da profissional envolvida”. 

Com informações do site: Estado de Minas