quinta-feira, 14 de outubro de 2021

Grupo criminoso cobra R$ 500 em bitcoins para falsificar carteira de vacinação


 
Foto: Reprodução
Um grupo de criminosos encontrou uma maneira de burlar o “passaporte da vacina”, no Rio de Janeiro. De acordo com o Jornal Valor Econômico, bandidos cobram cerca de R$ 500 para falsificar o comprovante de vacinação para quem se recusa tomar os imunizantes contra a Covid-19.

Ainda de acordo com o Valor, para dificultar a identificação dos criminosos, as vendas são efetuadas apenas por bitcoin.

Para divulgar o esquema, criminosos utilizam grupos anti-vacina em aplicativos de mensagem e o vendedor chega a ser indicado por quem diz já ter conseguido a sua falsificação. A promessa é que o documento falso seja um arquivo PDF imitando o documento emitido pelo aplicativo ConectSUS, do Governo Federal. Nele há todas as informações pessoais, enviadas pelo comprador aos criminosos, e das duas doses da vacina.

Como não é possível burlar os códigos de autenticação gerados pelo Ministério da Saúde na plataforma, o vendedor avisa que só é possível usar o documento falso em locais onde o QR Code ou os códigos não são checados. Desde setembro o Rio possui uma lei que institui multa de R$ 1.000 como sanção administrativa para quem tentar fraudar o comprovante de vacinação contra a covid-19. Caso a pessoa seja servidor público, a multa sobe para R$ 1,5 mil.

Com informações do site: ACORDA CIDADE