domingo, 10 de outubro de 2021

Idosa de 93 anos dada como morta apresenta sinais vitais no velório e é levada no caixão às pressas para hospital


 
Foto: Reprodução
Uma idosa de 93 anos, identificada como Carolina Lopes de Almeida, foi dada como morta nesta semana. Ocorre que durante o velório, realizado nesta sexta-feira (8), Dona Caluzinha, como era conhecida, apresentou sinais vitais e surpreendeu a todos os convidados que estavam presentes na cerimônia fúnebre.

A morte de Dona Caluzinha foi confirmada às 7h20. Poucas horas depois, já no velório, começou a apresentar sinais vitais e foi levada às pressas ao hospital ainda dentro do caixão. O episódio ganhou grande notoriedade a partir dos relatos do artista Ataíde Arcovede, nascido em Guiratinga (a 328 km de Cuiabá), onde os fatos aconteceram.

De início, os parentes suspeitaram em virtude do corpo quente da idosa. As dúvidas foram se tornando cada vez mais intensas, até que um médico foi chamado ao local, acompanhado por uma enfermeira, a qual constatou que a mulher estava viva, sendo levada às pressas ao hospital ainda dentro do caixão.


Foram realizados diversos procedimentos de reanimação, mas não surtiram efeito. Às 19 horas do mesmo dia, o óbito foi constatado. O novo velório aconteceu no decorrer do sábado, e o caso causou grande repercussão na região.

Os familiares lamentam pelos episódios, uma vez que o sofrimento e o luto acabou sendo duplo. A idosa sofria de Alzheimer há 20 anos e vinha apresentando uma saúde muito debilitada. Na cidade de Guiratinga, o assunto mais recorrente neste momento é o episódio envolvendo Dona Caluzinha, que se espalhou pela internet e vem sendo noticiado em todo o país.

Com informações do site: I7NEWS