quarta-feira, 6 de outubro de 2021

Jogador do CSA denuncia ataques racistas de torcedor cruzeirense após jogo tumultuado


 
Foto: Reprodução

O jogador Iury Castilho, do CSA, foi vítima de racismo por parte de um torcedor do Cruzeiro, após a partida entre os dois times nesse domingo (26). O atacante usou o Instagram para expor a série de xingamentos e ameaças que recebeu de um cruzeirense identificado como Thiago, que teve sua conta da rede social apagada pouco tempo depois.

No jogo desse domingo, Iury Castilho fez o gol da vitória do CSA contra o Cruzeiro. Para comemorar o gol, o atacante imitou um telefone com a mão e reproduziu o meme “fala, Zezé”, trecho de áudio de Thiago Neves que viralizou em 2019.

Depois da partida, um torcedor do Cruzeiro mandou mensagens racistas para Iury, as quais ele expôs em seu perfil. Dentre os xingamentos, Thiago chamou Iury de “macaco, filho da égua”, entre outros palavrões. “Respeita, respeita, ô, desgraçado”, diz um trecho da mensagem.

‘Não há espaço para atitudes como essa’
Após o episódio criminoso, o CSA repudiou os ataques racistas sofridos por Iury Castilho. “Não há espaço para atitudes como essas, pois estamos sempre lutando para que casos assim não aconteçam mais e que os responsáveis sejam exemplarmente punidos”, disse o clube em nota (leia na íntegra abaixo).

“A dignidade e o caráter de alguém jamais deve ser diminuída em virtude da sua raça. Somos um país múltiplo, que não pode ser omisso em situações como essa. Episódios assim mancham o futebol e a sociedade em sua totalidade, pelo viés racista e ofensivo à dignidade da pessoa”, acrescentaram.

O clube ainda ressaltou que tem orgulho de carregar em um de seus uniformes a frase “Diga não ao racismo”. O time finalizou no comunicado: “Temos a certeza que esse ato não representa a torcida do Cruzeiro, que em sua maioria absoluta prega pelo respeito e combate ataques discriminatórios”.

Tumulto no fim do jogo
No fim da partida de domingo, o Cruzeiro e o CSA se envolveram em uma confusão que se estendeu até o vestiário. O volante Adriano, do Cruzeiro, correu atrás de Cristovam, do time alagoano, e um tumulto acabou se formando. Policiais tiveram que intervir com spray de pimenta.

Nota do CSA na íntegra
O Maior de Alagoas repudia os ataques racistas sofridos pelo atleta Iury Castilho, através das redes sociais. Não há espaço para atitudes como essas, pois estamos sempre lutando para que casos assim não aconteçam mais e que os responsáveis sejam exemplarmente punidos. Essa deve ser uma luta diária e de todos nós.

Continuaremos almejando a tão sonhada transformação em busca de mais respeito e igualdade. A dignidade e o caráter de alguém jamais deve ser diminuída em virtude da sua raça. Somos um país múltiplo, que não pode ser omisso em situações como essa. Episódios assim mancham o futebol e a sociedade em sua totalidade, pelo viés racista e ofensivo à dignidade da pessoa.

Recentemente, passamos uma mensagem de apoio ao atleta Celsinho, do Londrina, que também foi vítima desse preconceito odiento. Temos orgulho em carregar, em um dos mantos, a frase “Diga não ao racismo”. O futebol é uma arma para transformações de pessoas, e o CSA segue em busca disso.

Esperamos que todos os racistas sofram punições severas até que isso acabe. Futebol é paz, amor e alegria. E temos a certeza que esse ato não representa a torcida do Cruzeiro, que em sua maioria absoluta prega pelo respeito e combate ataques discriminatórios.

Com informações do site: Bhaz