segunda-feira, 4 de outubro de 2021

Morre policial militar baleado em evento de motociclistas em Retirolândia


 
Foto: Reprodução
O soldado da PM Gilson Rodrigues Pereira, lotado no Pelotão de Retirolândia, 16º BPM, morreu na noite de domingo (3), após ser baleado durante um encontro de motociclistas no povoado Bela Vista, naquele município.

Segundo a polícia, dois homens ainda não identificados se aproximaram do militar e atiraram, atingindo-o na axila. O soldado Gilson foi socorrido para o Hospital Municipal de Serrinha em uma ambulância de Retirolândia, mas não resistiu.

O tenente-coronel Müller, comandante do 16º BPM de Serrinha, disse ao Acorda Cidade que a intenção era socorrer o policial para Feira de Santana, mas diante da gravidade do quadro de saúde, o médico decidiu parar em Serrinha.

"Ele foi conduzido de imediato para o hospital de saúde de Retirolândia, de onde foi removido para Serrinha. A intenção era levar diretamente para Feira de Santana, mas por conta de intercorrências, ele teve hemorragia severa, e aí o médico que o acompanhava decidiu parar em Serrinha. Foram feitas manobras, drenagens e estancamento da hemorragia, e ele acabou por ter uma parada cardíaca. Tentaram uma reanimação por cerca de meia hora, mas infelizmente ele não resistiu”, informou.

De acordo com o comandante, os criminosos dispararam de dois a três tiros, e a perícia está buscando os detalhes para passar para a Polícia Civil e que ajudem na identificação dos autores. O policial estava de folga e a suspeita inicial é de que ele foi morto por ter sido identificado como policial.

“A impressão é de que ele teria sido identificado por sua condição de policial militar e isso teria sido a razão destes elementos deflagrarem os disparos contra ele. Conversamos com alguns colegas e familiares, e não há registros de nenhum inimigo ou fato que indicasse que ele poderia ser vítima deste tipo de violência. A coisa foi personalíssima, foi com a intenção de matar o Soldado Gilson”, ressaltou.

Lamentando a perda, o comandante destacou que os bandidos serão identificados e responsabilizados pelo crime.

“Eles serão responsabilizados, isto não passará em branco, isto não ficará impune. A tropa sente muito pela perda do nobre companheiro. Vamos perseverar nos nossos trabalhos, inclusive em homenagem ao nosso irmão que está se despedindo, e vamos em frente. A orientação do nosso comandante-geral é atuar com muito equilíbrio, mas buscar os responsáveis pela morte do nosso colega. Vamos perseverar nisso”, declarou.

O Soldado Gilson ingressou na Polícia Militar no dia 7 de abril de 2008. Ele deixou esposa e filhos.

Com informações do site: acordacidade