sábado, 30 de outubro de 2021

"Não é homofobia", diz deputado ao criticar beijo gay em quadrinhos


 
Foto: Reprodução
Em meio à polêmica envolvendo as declarações do jogador de vôlei Maurício Souza sobre um beijo homossexual entre personagens fictícios, o deputado federal Capitão Alberto Neto (Republicanos), nesta sexta-feira (29), repudiou a demissão do voleibolista por parte do Minas Tênis Clube e defendeu as postagens do ex-seleção brasileira.

Para o parlamentar amazonense da base governista, os posicionamentos contra manifestações amorosas LGBTQIA+ fazem parte da "liberdade de expressão" e o jogador não merecia ser demitido do Minas por tal conduta. Segundo ele, o direito à opinião do atleta está sendo ferido e não configura homofobia ou bifobia.  

"
Olha a que ponto nós chegamos: o jogador Maurício foi expulso de seu time, o Minas Tênis Clube, por criticar uma revista em quadrinhos onde o Superman é bissexual. Ele achou inadequado, criticou e foi expulso do time, perdeu seu emprego por isso. Nós temos que respeitar a liberdade de expressão. Sem lacração! A questão do jogador Maurício, que criticou a revista, não é uma questão de homofobia ou bifobia"
, disse.
 
O deputado ainda complementa dizendo que a cena onde o filho do super-homem assume sua bissexualidade através de um beijo homossexual "influencia crianças" e que a liberdade do jogador deve ser respeitada, mesmo que o ex-Minas não respeite a orientação sexual de cada indivíduo.  

"Vários estudos apontam que a programação infantil influencia sim nossas crianças. Então esquece essa história de cancelar o jogador, como veículos de imprensa têm feito. Vamos respeitar a opinião e preocupação como pai", afirmou Alberto Neto. 

Em suas redes sociais, o deputado também postou imagem ironizando a situação, com uma foto do Capitão América beijando uma mulher e defendendo a Viúva Negra. 

Entenda a polêmica 

Tudo começou após uma publicação, nesta quarta-feira (27), sobre a orientação sexual do atual Superman, Joe Kent. A DC Comics anunciou que o novo herói, filho de Clark Kent, se descobrirá bissexual nas próximas edições das histórias em quadrinhos.

Após a publicação da editora, Maurício Souza postou a foto do Super-Homem e fez críticas à decisão da DC: "Ah! é só um desenho, não é nada demais. Vai nessa que vai ver onde vamos parar", criticou na postagem.

O também jogador de vôlei Douglas Souza, por outro lado, faz parte da comunidade LGBTQIA+ e postou a mesma imagem do super-herói repudiando a atitude do colega de seleção. 

"Engraçado que eu não virei heterossexual vendo os super-heróis homens beijando mulheres. Se uma imagem como essa te preocupa, sinto muito, mas eu tenho uma novidade pra sua heterossexualidade frágil. Vai ter beijo sim. Obrigado DC por pensar em representar todos nós e não só uma parte", alfinetou o colega.

Rendendo grande repercussão nas redes sociais, a postagem de Maurício não foi bem vista pelos patrocinadores do Minas Tênis Clube, que repudiaram a atitude do atleta. Uma das empresas é a montadora de carros Fiat que, em nota, afirmou que não compactua com declarações que promovam o ódio, exclusão, ou diminuição de uma pessoa. 

"A empresa pauta suas ações e relacionamentos com base em valores que considera inegociáveis, como o respeito a diversidade e inclusão. Assim, a Fiat repudia qualquer tipo de declaração que promova ódio, exclusão, ou diminuição da pessoa humana e espera que a instituição tome as medidas cabíveis e necessárias no espaço mais curto de tempo possível."

Nota de repúdio, Fiat

Inicialmente, o Minas decidiu afastar e multar o atleta, além de orientar a fazer uma retratação pública nas redes sociais, com um pedido de desculpas a quem havia ofendido.  

Enquanto a diretoria estava em uma reunião para decidir o futuro do atleta, o jogador postou um vídeo pedindo desculpas "a quem se sentiu ofendido" e disse que "seguirá defendendo o que acredita". O vídeo incomodou não só as patrocinadoras, como também o clube.

Com isso, a diretoria decidiu rescindir o contrato com o atleta, que iria até o final da atual temporada.


Com informações do site: EM TEMPO