quinta-feira, 28 de outubro de 2021

Preso líder de organização criminosa que furtava placas de fornecimento de internet


 
Foto: Reprodução
Os equipamentos eram roubados de torres de fornecimento de internet, no Distrito Federal, e encaminhados para uma empresa no estado de Goiás. A empresa era responsável por fornecer internet na região. Após oito meses de investigação, a Polícia Civil do Distrito Federal desarticulou um grupo criminoso responsável pela prática de inúmeros furtos de placas de transmissão de internet, transformadores, baterias e demais acessórios pertencentes a empresas de telefonia em toda a região Centro Oeste.

Os membros do grupo recrutavam interceptadores no Distrito Federal, e vendiam as placas furtadas no mercado paralelo, por um valor estimado em mais de R$ 100.000,00 (cem mil reais). O valor e a especificidade do objeto furtado chamaram a atenção para o crime.

Veja vídeo:


As investigações tiveram início em janeiro de 2021, após um grupo de criminosos terem subtraído placas de transmissão de sinais de uma torre da operadora TIM, situada no satélite de Ceilândia. o que indicava se tratar de um grupo com algum grau de especialização.

No decorrer da apuração, os policiais chegaram a efetuar a prisão em flagrante dos mesmos autores que praticaram o furto que motivou o início da investigação. No mês de março, as equipes conseguiram prender a dupla de criminosos no exato instante em que vendiam placas de sinais de transmissão de internet para um receptador na cidade Estrutural, receptador esse que possui uma empresa de comercialização de internet para aquela população.

Nesta semana, após a expedição dos mandados judiciais,a operação denominada Net Less, cumpriu buscas em 32 endereços, sendo 26 no estado de Goiás, cinco no Distrito Federal e um no Tocantins. Com o apoio de funcionários das empresas de telefonia e da ANATEL, foram apreendidas placas de transmissão, baterias, transformadores e diversos materiais furtados, que estavam instalados em diversos data centers da empresa e sendo utilizados para o exercício comercial da firma. Ao todo a apreensão totaliza cerca de 9 milhões em equipamentos roubados.

Segundo o Delegado responsável, Antônio Dimitrov, da 15ª Delegacia de Polícia, 10 indivíduos foram indiciados por organização criminosa, furto e receptação, a depender de sua posição no esquema da estrutura delinquente. Dentre eles 6 pessoas já estão presas, incluindo o chefe do núcleo da organização, que está preso no estado de Goiás, o filho dele que também fazia parte da organização, está foragido junto com outros membros.

A PCDF solicitou a presença de representantes das operadoras de telefonia e da ANATEL, em razão da impossibilidade técnica dos policiais verificarem, in loco, a procedência dos objetos, o que poderia causar a interrupção dos serviços de internet das cidades abastecidas pela empresa. A presença dos técnicos permitiu apreender materiais verificados como de propriedade das operadoras vítimas, e, apesar de certo prejuízo na prestação do serviço, esse se deu nos limites mínimos, considerando que foram apreendidos objetos em utilização apenas com a afirmação de sua procedência ilícita.

Com informações do site: JBR