domingo, 10 de outubro de 2021

Sargento sequestrado e morto sofria ameaças após compra de terreno


 
Foto: Reprodução
O sargento reformado Dorgivaldo Félix dos Santos, de 54 anos, que foi morto depois de ter sido sequestrado por quatro homens armados e encapuzados no último sábado (2), sofria ameaças de morte há pelo menos um mês, após comprar um terreno no bairro de Fazenda Cassange, em Salvador – mesma localidade onde ele foi levado pelos criminosos algemado dentro do porta-malas de um carro.

Segundo pessoas próximas à vítima, assim que Dorgivaldo comprou o espaço na mão de uma pessoa, o suposto dono apareceu para reivindicar o terreno. Desde então, ele passou a temer por sua vida.  

"Ainda estamos tentando entender e sem saber para que lado seguir. Mas assim que ele comprou o terreno, o suposto dono apareceu e fez ameaças. Depois disso, em um certo dia, um carro com pessoas suspeitas se aproximou da rua onde ele estava. Dorgivaldo tirou o celular para filmar a movimentação e foi repreendido", conta um conhecido que prefere manter o anônimato por temer retaliações.  

Crime
Era por volta das 16h30, quando o sargento decidiu descansar ao lado de amigos após terminar de bater uma laje do que seria o seu futuro restaurante, na rua Pica-Pau. Enquanto bebia água de coco, um carro modelo Nissan, se aproximou do grupo. Quatro homens encapuzados e portando metralhadoras e escopetas desceram do veículo. Eles queriam o sargento.  

"Desceram do carro gritando: 'perdeu, perdeu'. Todos deitaram no chão e eles começaram a perguntar quem era o PM. Dorgivaldo não disse nada, permaneceu calado", contou o conhecido. 

Os criminosos chegaram a confundir a vítima com um dos seus amigos, devido a semelhança física. Eles o algemaram, mas antes de colocá-lo no porta-malas se deram conta da confusão. 

Após o sequestro, a família rastreou o celular da vítima e identificou que o aparelho estava na Gamboa, localidade que fica às margens da Avenida Contorno, na região central da cidade.  

O corpo de Dorgivaldo foi encontrado nesta terça-feira (5) na Estrada das Pedreiras, em um matagal, após a rotatória da Ceasa, sentido Coração de Maria. Familiares identificaram a identidade dele. A vítima estava com os dedos e braços quebrados e com várias marcas de tiros, sobretudo na região do tórax.  

O sargento estava há três anos na reserva depois de ter servido a 9ª Companhia Independente (CIPM/ Pirajá). O corpo dele será sepultado na tarde desta quarta (6), no Cemitério Bosque da Paz.  

Com informações do site: BNEWS