quinta-feira, 28 de outubro de 2021

Você conhece a larva que se mexe na pele? Ela causa medo e deixa muitas pessoas assustadas


 
Foto: Reprodução
Você conhece a larva que se mexe na pele? Ela causa medo em muitas pessoas que acham a larva migrans cutânea bem assustadora. Conhecida popularmente por ‘bicho geográfico’, ela provoca uma infecção através das larvas de parasitas que vivem nos intestinos de gatos e cães, como os helmintos Ancylostoma caninum e Ancylostoma braziliense.

O ciclo de vida dos parasitas que provocam a larva migrans cutânea inicia quando os animais infectados pelos helmintos deixam os ovos do parasita nas fezes. As fezes contaminadas entrarem em contato com solo propício, que seria quente, arenoso e úmido, os ovos eclodem e liberam as larvas.

As larvas que acabaram de nascer alimentam-se de bactérias. Elas passam por duas fases de evolução no período de 5 a 10 dias. Na terceira fase, a larva já está apta a infectar humanos. Essa contaminação acontece quando a pessoa entra em contato com o solo contaminado com a larva. Geralmente, isso pode acontecer quando se anda descalço em um local arenoso.

Outro ambiente suscetível de contaminação são as caixas de areia que ficam ao ar livre. Aliás, é um local onde os pequenos gostam de brincar. Os gatos costumam procurar as caixas de areia ou terra para poder enterrar as fezes e, desta maneira, podem facilmente contaminar aquela área. A maior parte dos casos de larva migrans acomete os membros inferiores, especialmente os pés.

Nos pequenos que costumam brincar sentados nessas caixas de areia ou na praia, a região das coxas e também os glúteos podem acabar sendo contaminados. As larvas penetram na camada superficial da pele, mas não conseguem atravessar outras camadas. Desta forma, elas se movimentam por baixo da pele, formando túneis pequenos, que são a origem dos desenhos da pele.

Esses desenhos formados na pele ficam parecidos com um mapa, por isso, o nome bicho geográfico. Os sintomas da contaminação são pápulas que surgem na pele, e após três dias da invasão, aparecem os túneis provocados pela movimentação do parasita. As lesões costumam provocar coceiras. O tratamento para se livrar do problema é feito à base de medicação antiparasitária.

Com informações do site: 1NEWS