segunda-feira, 15 de novembro de 2021

Acusado de matar moça em motel participava de festa na hora da prisão


 
Foto: Reprodução
No momento da prisão, o homem acusado de torturar e assassinar Ana Carolina de Lima Araújo, de 21 anos, na suíte do motel Play Time, em Taguatinga Sul, em 31 de outubro, participava de uma festa regada a drogas e bebidas alcoólicas. Integrante da facção criminosa Comboio do Cão, Ruan Rodrigues de Souza, 27 anos, conhecido pelo apelido de R7, foi preso pela Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) na tarde deste domingo (14).
 
Os policiais civis entraram no esconderijo onde o acusado celebrava com outras pessoas, em uma residência localizada em Samambaia. Segundo Adriano Valente, titular da delegacia de Repressão ao Crime Organizado (Draco/Decor), foram 15 horas de festa. “Estávamos monitorando e os convidados começaram a chegar por volta das 20h. Só teve fim por volta das 11h, quando entramos lá”, explica.

Toda a ação foi registrada. Nas imagens é possível constatar grande quantidade de bebida, especialmente uísque. Drogas como cocaína, haxixe, ecstasy e remédios controlados estavam dispostos para consumo de participantes. Nenhuma arma foi encontrada.

Ruan estava foragido e trocava de endereços, mas investigadores monitoravam o acusado. O último esconderijo do criminoso foi a residência de uma mulher com quem mantinha um envolvimento. “Agora estamos aprofundando para saber se os outros integrantes da festa têm algum envolvimento com a facção”, diz Valente.
 
A prisão foi feita após o intenso trabalho de investigação da Policia Civil. Agentes da 21ª Delegacia de Polícia (Taguatinga Sul), Delegacia de Repressão ao Crime Organizado (Draco), que faz parte do Departamento de Combate à Corrupção e ao Crime Organizado (Decor), com auxílio da Divisão de Operação Especiais (DOE), entraram na residência respaldados por uma autorização da Justiça.

De acordo com a polícia, a dona da residência será autuada por favorecimento pessoal. Além de R7, outro homem acusado de participação na morte de Ana Carolina também foi preso. Trata-se de José de Alencar Fernandes Filho, 25 anos.

No momento da prisão havia sete pessoas na residência. Todas estariam consumindo drogas e bebidas no local. Diante da quantidade de entorpecentes na cena, as sete também foram autuadas por porte de drogas. Os presos na operação serão encaminhados para a Decor.

O crime

Após sofrer tortura, Ana Carolina foi executada com tiro na cabeça por integrantes da facção criminosa Comboio do Cão, na madrugada de 31 de outubro de 2021. Segundo investigações conduzidas pela PCDF, a vítima sofreu uma emboscada feita pelo próprio namorado, Ruan Souza. O crime foi classificado como feminicídio.

De acordo com as apurações da 21ª Delegacia de Polícia (Taguatinga Sul), na noite da morte, Ana Carolina bebia na companhia de Ruan em uma casa. Com o casal estavam quatro pessoas: três homens e uma mulher. Tarde da noite, todos resolveram ir para o motel.

Conforme apontam as investigações, Ana Carolina teria começado a ser agredida por Ruan ainda dentro do veículo. A motivação seria uma suposta traição. A jovem sofreu uma série de ataques no trajeto. Na suíte do motel, foi torturada.

No momento da execução da jovem, havia três homens no interior do quarto. Além de Ruan, estavam no local José de Alencar e Pedro Henrique Sampaio. O terceiro elemento foi detido após policiais da 21ª DP cumprirem mandado de prisão temporária. Antes do feminicídio, um casal que estava com o grupo deixou o motel.

Vasta ficha criminal

Ruan Rodrigues de Souza tem vasta ficha criminal e entrou na vida no crime ainda na adolescência. R7 possui passagem pela polícia por formação de quadrilha, roubo, furto e porte de drogas. Os crimes foram registrados no Distrito Federal e em Goiás, onde responde a ao menos três processos.

Em 2012, Ruan foi preso por furto a residência no Lago Sul. Acompanhado de uma mulher e mais dois homens, o criminoso foi detido pela Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF). Conforme relato dos autores, eles planejaram o crime dias antes e contaram com auxílio da neta das vítimas.

Meses depois, voltou a ser preso por roubo a veículo. Fazendo ameaças com um simulacro de arma de fogo e em conjunto com comparsa adolescente, tomou o carro de uma mulher, em Taguatinga. A vítima pulou para fora do automóvel para não ser feita refém. Em 2017, R7 foi preso ao ser flagrado com porções de cocaína e maconha.

Com informações do site: DIÁRIO VIP