quarta-feira, 3 de novembro de 2021

Advogada suspeita de levar vida de luxo com dinheiro do tráfico é presa em Minas


 
Foto: Reprodução

Uma mulher, de 25 anos de idade, foi presa nesta quarta-feira (27) suspeita de envolvimento no tráfico de drogas e lavagem de dinheiro. Segundo a Polícia Civil, ela foi encontrada em Lagoa Santa, Região Metropolitana de Belo Horizonte.

Durante a operação Barra Minas, foi apurado que investigada teria participação em um grupo mineiro articulado com traficantes do Rio de Janeiro.

De acordo com o delegado responsável pelo caso, Thiago de Lima Machado, a investigação teve início há cerca de seis meses devido a constatação de uma conexão de traficantes de Minas com os da capital Rio de Janeiro.

“Um grupo de mulheres estaria agindo em articulação para o tráfico de drogas. A partir daí, surgem os principais investigados, uma mulher de 25 anos [presa na quarta-feira] e seu namorado, de 29, que atualmente está preso”, explica.

A suspeita, além de namorada, também era advogada do investigado. “Ela se valia da condição de advogada para comparecer a diversas unidades prisionais e fazer o leva e traz. Ela fez várias visitas ao namorado, que podia ser em virtude do relacionamento, mas identificamos que ela realizava constantes visitas aos outros presos. Constatamos que diversas vezes ela se deslocou ao Rio de Janeiro e se hospedava em hotéis de nível e, inclusive, frequentando o aglomerado da Rocinha, que é conhecido pelo intenso tráfico de drogas”, diz o delegado.

Vida de luxo
Ainda de acordo com a investigação, a suspeita chegou a levar para a cidade fluminense um automóvel que seria utilizado para o tráfico de drogas. “Ela saiu com esse veículo de Belo Horizonte, em julho, e se deslocou até o Rio de Janeiro."

A Polícia Civil contou com apoio da Polícia Federal para monitrar o veículo, uma ação que durou meses. "Em setembro, o veículo foi interceptado no Paraná. O motorista passou pelo bloqueio de viaturas até perder o controle e capotar o veículo. No local, foram encontrados quase 540 quilos de maconha e 110 quilos de skunk”.

Segundo o delegado, a suspeita tinha uma vida de luxo: "Identificamos imóveis obtidos com recursos financeiros ilícitos. Também constatamos contas correntes movimentadas por várias pessoas para lavagem de dinheiro e canalização de recursos obtidos com o tráfico de drogas”.


Na casa da suspeita, em Vespasiano, também na Região Metropolitana, foram encontrados uma folha com os números obtidos pelo tráfico de drogas e um aparelho utilizado para embalagem a vácuo. Foi feito um cerco no local e a mulher foi presa enquanto conduzia um veículo.

As investigações vão continuar para tentar identificar todos os envolvidos.


Com informações do site:  G1