close

quinta-feira, 25 de novembro de 2021

Alunos são filmados tendo relações sexuais em sala de aula no Amazonas


 
Foto: Reprodução
Um casal de alunos da Escola Estadual de Tempo Integral Professora Maria Izabel Desterro e Silva de Iranduba (a 26 quilômetros de Manaus) foi flagrado mantendo relações sexuais dentro das dependências do colégio. 

Os adolescentes estavam em uma sala vazia da escola e aproveitaram o intervalo das aulas para realizar o ato sexual. O momento foi gravado, possivelmente, por outro aluno e o casal não percebeu que a intimidade estava sendo registrada.  

  De acordo com o estatuto 241 da Lei nº 8.069 do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), é crime publicar ou divulgar, por qualquer meio, registro que contenha cena de sexo explícito ou pornográfica, envolvendo criança ou adolescente. Apesar disso, o vídeo da menina e do menino foi compartilhado nas redes sociais.   

Medidas tomadas 

Em nota à reportagem do EM TEMPO, a Secretaria de Estado de Educação e Desporto (Seduc) afirmou que foi registrado um boletim de ocorrência por conta do compartilhamento ser crime. O Conselho Tutelar de Iranduba também está acompanhando o caso. 

Sobre as medidas em relação a punição dos alunos, que realizaram atividades que vão contra o Regimento das Escolas Estaduais, os dois alunos foram alertados sobre a gravidade do que fizeram e assinaram uma advertência. Além disso, desde esta quarta-feira (24), os dois alunos estão suspensos das atividades presenciais da escola estadual.  

"
A pasta reitera que os estudantes utilizaram o intervalo entre as atividades pedagógicas para praticar o ato. Os envolvidos já foram alertados pedagogicamente sobre a gravidade do caso, assinaram advertência na escola e, a partir desta quarta-feira (24), estão suspensos de suas atividades presenciais, conforme previsto no Regimento da Escolas Estaduais."
Nota da Seduc,
 
Um outro trabalho que está sendo feito em conjunto com a escola, é a orientação para exclusão do conteúdo que está sendo compartilhado pelos alunos a unidade de ensino.

"Todos os profissionais da unidade de ensino estão trabalhando na orientação para que toda a comunidade escolar exclua os conteúdos compartilhados dos alunos, e alertando sobre as penalidades previstas no artigo 241A do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA)", finaliza a nota.

Com informações do site: EM TEMPO