quarta-feira, 3 de novembro de 2021

Famoso bar apresenta novos uniformes das funcionárias e repercussão negativa as obrigam a tomar decisão


 


Foto: Reprodução

As funcionárias de toda a rede de bares da Hooters ficaram revoltadas ao receberem o novo uniforme que deveria ser usado no trabalho. A rede já é conhecida mundialmente por ter funcionárias que usam shorts curtos para atender aos clientes, sendo um método de trabalho copiado por diversos estabelecimentos, principalmente em grandes metrópoles.

O local é conhecido também por ter vários televisores ligados em programação esportiva e petiscos com cerveja são a grande atração da casa. Através das redes sociais, sobretudo o Tik Tok, funcionárias das mais de 400 lojas da Hooters exibiram fotos do novo traje e se mostraram revoltadas com a novidade, uma vez que a peça não se parecia em nada com os tradicionais shorts.

Houve mulheres que disseram que amam trabalhar no bar, mas que pretendiam abandonar o trabalho por não se sentirem confortáveis com a nova roupa. Os shorts das garçonetes se transformaram em peças tão minúsculas que mais parecem com uma lingerie.

As imagens das peças e de algumas meninas trajando a nova roupa gerou tanta repercussão que os gestores da rede precisaram emitir um comunicado com uma decisão interna para amenizar a situação. A nota dizia: “Continuamos ouvindo e atualizando a imagem das Hooters Girls e esclarecemos que elas têm a opção de escolher entre os uniformes tradicionais e os novos. Elas podem determinar o estilo de shorts que melhor se adapta ao seu estilo e imagem corporal.”

Mesmo com o posicionamento atual da rede em dizer que o novo uniforme é opcional e que as funcionárias são quem devem escolher a peça que mais lhes agrada, muitas garotas ainda reclamaram do mau gosto para escolher a nova versão do uniforme, que parece ter sido aposentado antes mesmo de começar a ser usado.

Vale lembrar que a Hooters encerrou suas atividades no Brasil em 2019, mas existem outros bares tradicionais no país que seguem o mesmo modelo com garçonetes vestindo roupas menos tradicionais, sobretudo no centro de São Paulo. Nunca foi dada uma justificativa oficial sobre a decisão de não atuar mais no Brasil. Os gestores do negócio apenas informaram que foi estudada a possibilidade de mudar o bar de endereço. O país teve quatro unidades em São Paulo, estando sempre lotadas.

Com informações do site: i7news