quinta-feira, 25 de novembro de 2021

Mulheres denunciam cirurgiã plástica por erro médico


 
Foto: Reprodução
A cirurgiã plástica Milena Carvalho, do Distrito Federal, está sendo acusada por ao menos três mulheres por negligência no pós-operatório e erro médico. O caso está sendo investigado pela Polícia Civil e o Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT).

A cirurgiã possui CRM há cerca de 10 anos, porém não possui especialização e nem o registro necessário para realizar esse tipo de cirurgia. Um total de 15 a 16 pacientes até o momento, com faixa etária que vai de 27 a 40 anos, possuem denúncias de negligência no pós operatório e erro médico contra Milena.

Destas, seis pacientes procuraram o escritório do Advogado Jadson Carvalho. O advogado do caso, contou ao Jornal de Brasília que algumas pacientes relataram que as cirurgias teriam sido realizadas na própria clínica da cirurgiã plástica, local que não possuía uma Unidade de Tratamento Intensivo.

Uma das pacientes que fez implante de prótese mamária relatou ter enviado a foto do seio já necrosado e sem auréola para a cirurgiã, que respondeu com a frase “Tá lindona!”.

Em outro caso uma das pacientes já teria passado por outros médicos que afirmaram que ele deveria perder peso antes de realizar o procedimento. No entanto Milena Carvalho realizou a cirurgia mesmo sem a paciente perder peso, tirou muita pele e muita gordura, deixando a paciente com o abdômen deformado.

Após o procedimento, a paciente foi parar na UTI (Unidade de Tratamento Intensivo), por 15 dias, e ao contatar a cirurgiã, Milena teria dito que seu pai havia falecido e por isso não estava realizando atendimentos.

Ainda segundo a mulher, mais de dez dias depois, as manchas não haviam diminuído ou apresentado qualquer sinal de melhora. Novamente a médica afirmou que era uma reação normal e orientou a paciente a não procurar a emergência.

“Não recebi um pedido de desculpas, não fui acolhida, ela (a médica) não admite que errou. Então, apesar dela dizer que não foi nada e, sim, uma fatalidade, eu acredito que houve um erro grave e vou procurar justiça. Graças a Deus estou viva e a vida tenho muita força”, disse a vítima.

De acordo com a mulher, existe um grupo nas redes sociais com mais dez mulheres que também desejam denunciar e processar Milena. “Tomamos providências administrativas no Conselho Regional de Medicina (CRM) para apuração no conselho de Ética. Também fizemos boletim de ocorrência para responsabilização criminal por lesão corporal”, disse Jadson Carvalho Lino, advogado das denunciantes.

Outro lado
Após publicação da reportagem, a assessoria da médica Milena Carvalho entrou em contato com o Jornal de Brasília e, em nota, afirmou:

A Dra. Milena Carvalho repudia veementemente as acusações anônimas de não ter prestado apoio pós-operatório a qualquer paciente que ela tenha atendido.

A médica afirma que segue rígidos protocolos de cuidados e que acompanha seus pacientes antes, durante e depois dos procedimentos. Mesmos naqueles casos em que os pacientes não cumpriram o necessário protocolo, ela sempre esteve inteiramente à disposição para atender e solucionar qualquer situação que tenha ocorrido.

Todos os pacientes em pós-operatório são acompanhados de forma rigorosa pela médica. Já no pré-operatório todos têm acesso ao celular pessoal da Dra. e podem contatá-la dia ou noite, 7 dias por semana, 24 horas por dia. A médica fica sempre à disposição para as suas pacientes, bem como a sua equipe.

Os retornos pós-operatórios seguem um protocolo rígido e são orientados a serem realizados na sua clínica semanalmente no primeiro mês, após 3 meses, 6 meses e 1 ano, ou em qualquer outro tempo/ocasião se fizer necessário. Nos retornos são procedidas avaliações presenciais, curativos, realizadas fotografias de registro e orientações.

Somente em 2021, a médica realizou mais 200 cirurgias com absoluto zelo e profissionalismo. A grande maioria dos pacientes está totalmente satisfeita com o resultado dos procedimentos. Importante destacar que a médica é reconhecida, respeitada e referência para importantes publicações na imprensa sobre a temática de especialidade dela.

A médica afirma ter sido procurada por pacientes que de forma insistente tentaram fazer com que fosse realizado um acordo financeiro, mas não aceitou por não ter nada a temer, uma vez que os fatos narrados são inerentes às cirurgias e a Dra Milena prestou, durante todo o processo, atendimento às pacientes que seguiram com ela.

A médica está abalada com as acusações anônimas e infundadas e teme as consequências desse massacre midiático para sua vida, já que hoje ela se encontra grávida de 4 semanas e enfrenta uma gestação de risco.

A Dra. se coloca à disposição das autoridades para prestar qualquer esclarecimento, reforça que os fatos narrados são infundados e que não há qualquer comprovação ou condenação contra ela na justiça por irregularidade em sua conduta como médica.

Com informações do site: JBR