quinta-feira, 11 de novembro de 2021

Postos de combustíveis são incendiados durante a madrugada em Santa Cruz


 
Foto: Reprodução
Dois postos de combustíveis, da Shell e da Ipiranga, foram incendiados durante a madrugada desta quinta-feira (11), em Santa Cruz. Os dois pontos ficam na Avenida Brasil. Moradores receberam mensagens em grupos de Whatsapp na noite de quarta-feira (10) anunciando um suposto ataque do grupo liderado por Danilo Dias Lima, o Tandera, e acreditam que os incêndios tenham sido cometidos pela milícia.

Os quartéis do Corpo de Bombeiros de Santa Cruz, Sepetiba e Campo Grande foram acionados durante a madrugada para combater os incêndios, que não deixaram feridos. Um trecho da Avenida Brasil, na altura do Atacadão, sentido Itaguaí, chegou a ser interditado para a ação dos bombeiros. A Polícia Militar também foi acionada.

Ao MEIA HORA, moradores afirmam desconfiar que a ação tenha sido fruto de uma milícia rival a que domina a área. Na noite de quarta-feira, grupos de Whatsapp da região receberam mensagens anunciando um suposto ataque. "Um aviso para os moradores de Campo Grande, Santa Cruz e Paciência. Evitem ficar na rua amanhã. Tandera está programado para atacar vários bairros amanhã", diz um dos textos.

Em nota, a Polícia Militar informou que PMs "do 27ºBPM (Santa Cruz) e do Batalhão de Policiamento em Vias Expressas (BPVE) intensificam o policiamento na Avenida Brasil, altura de Santa Cruz, onde ocorreram dois incêndios em postos de combustíveis".

A Polícia Civil informou que investigações já estão em andamento na 36ª DP (Santa Cruz). "Os agentes estão coletando imagens de câmeras de segurança, que serão analisadas", afirmou a Civil, em nota.
Santa Cruz viveu fim de semana de tensão

Um intenso tiroteio assustou moradores no último sábado (6), no conjunto Manguariba, em Paciência, Zona Oeste do Rio. Segundo testemunhas, o confronto é entre milicianos rivais: de um lado, o grupo liderado por Danilo Dias Lima, o Tandera, que controla a região desde junho. Do outro, o de Luís Antônio da Silva Braga, o Zinho, que tenta invadir.

Policiais militares do RECOM (Batalhão de Rondas Especiais e Controle de Multidões) apreenderam armas, capas de colete balístico, automóveis e roupas semelhantes a fardamentos dentro do conjunto Manguariba.

Em setembro, guerra entre Zinho e Tandera deixou vans incendiadas

A guerra entre os grupos de Zinho e Tandera começou ainda no dia 13 de junho, dia seguinte à morte de Wellington da Silva Braga, o Ecko, miliciano mais procurado do estado e irmão de Zinho. No mesmo dia do velório, o grupo de Tandera invadiu Manguariba e passou a dominar o conjunto.

Em setembro, ataques em Santa Cruz e Campo Grande deixaram pelo menos sete vans incendiadas. Os bairros viveram dias de medo, com estações de BRT fechadas, e ônibus e veículos de transporte alternativo sem circular.

Com informações do site: MEIA HORA