terça-feira, 14 de dezembro de 2021

Médica morre aos 30 anos após AVC quando estava em viagem com o marido


 
Foto: Reprodução

Rafael Steffen Antunes, marido de Flávia Burigo Antunes, se pronunciou sobre a morte de Flávia. Conta que ainda não se sabe a causa do AVC que matou sua esposa. O pedido de respeito do esposo é uma resposta aos comentários nas redes sociais que associam a morte da médica a possíveis reações da vacina contra o covid-19.

“Respeito. Aqui existe uma família. Uma filha de 4 anos. Colocar-se no lugar do outro” este é o pedido do médico Rafael Steffen Antunes, marido de Flávia Burigo Antunes, de 31 anos, médica que faleceu após sofrer um Acidente Vascular Cerebral (AVC) na sexta-feira (3).

Rafael conta que até o momento não se sabe qual foi a possível causa do AVC que matou Flávia. “Investigações ainda estão em andamento, e podem demorar algumas semanas. Até então, não existe uma causa conhecida” afirma.

O médico também afirmou que até o momento “Não existe qualquer relação com a vacina”.

Flávia Burigo Antunes, de 31 anos, faleceu após sofrer um Acidente Vascular Cerebral (AVC) na sexta-feira (3).

Eleita a 1ª Princesa da Festa do Pinhão de Lages em 2013, Flávia sofreu o AVC quando estava em viagem com o marido para Balneário Camboríu no dia 26 de novembro, dois dias antes do seu aniversário, que foi no dia 28.

A ex-princesa era médica nas Unidades Básicas de Saúde de Lages.

A médica foi socorrida e encaminhada de helicóptero para o Hospital Governador Celso Ramos, em Florianópolis, onde ficou internada na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) por quase uma semana, mas não resistiu e faleceu. Flávia deixa o marido, que também é médico, e uma filha. A ex-princesa foi velada e sepultada no sábado (04), em Lages.

Com informações do site:  Schaina Marcon, repórter do SCC SBT