segunda-feira, 20 de dezembro de 2021

Tragédia: vento arrasta castelo inflável cheio de crianças durante festa escolar; veja vídeo


 
Foto: Reprodução
Cinco crianças morreram nesta quinta-feira após um brinquedo inflável no formato de castelo ser levado pelo vento em Devonport, Tasmânia, Sul da Austrália. A princípio, foram identificadas quatro vítimas fatais no local do acidente. Horas depois, uma das crianças levada para o hospital não resistiu aos ferimentos. Outras quatro permanecem internadas em estado grave.

O acidente ocorreu por volta de 10h no horário local (20h de quarta-feira em Brasília). A estrutura fazia parte de uma comemoração pelo fim do ano letivo na escola primária de Hillcrest. As causas do acidente ainda serão investigadas, mas a polícia local estima que o castelo foi suspenso a uma altura de cerca de dez metros com a força do vento. Várias testemunhas ainda serão ouvidas.

— Era o dia em que essas crianças deveriam comemorar seu último dia na escola, em vez disso, estamos todos de luto pela perda delas — lamentou o chefe da polícia da Tasmânia, Darren Hine, após visitar o local da tragédia.


Pela manhã, a velocidade do vento variou entre 7 km/h e 19 km/h na região, conforme medido no aeroporto de Devonport. Parte da estrutura inflável ficou pendurada em um árvore a 50 metros do local onde estava posicionada inicialmente.

Monte Bovill, repórter da emissora ABC, foi uma das primeiras pessoas a chegar na escola após o acidente. Ele descreveu a situação como “uma das mais desafiadoras da sua carreira”. Na transmissão ao vivo, contou que pais e familiares estavam desesperados, gritando pelas ruas. Ele também viu socorristas consolando uns aos outros.
— Quando cheguei, os pais estavam apenas correndo, correndo pela rua e gritando — contou.

O governador Peter Gutwein descreveu a tragédia como “devastadora e dolorosa para todos os envolvidos”.

— É difícil para mim encontrar as palavras certas em circunstâncias tão trágicas. Minhas mais profundas condolências à família, amigos e entes queridos de todos os afetados pela tragédia de hoje — disse.

Com informações do site: portalcm7