sexta-feira, 7 de janeiro de 2022

Exercício físico aumenta a eficácia da vacina contra Covid-19, aponta estudo da USP


 

Foto: Reprodução
Que praticar exercício faz bem para a saúde, todo mundo já sabe. Porém, um estudo novo da USP (Universidade de São Paulo) constatou que há mais um novo beneficio na prática de atividades físicas. Pacientes que realizam pelo menos 150 minutos de exercício por semana registraram maior resposta imunológica depois de tomar a vacina contra a Covid-19, aumentando a eficácia. O nível de anticorpos nesses pacientes é maior do que nos pacientes sedentários analisados.

A pesquisa nomeada “Atividade física associada a maior persistência de anticorpos seis meses após a segunda dose de Coronavac em pacientes com doenças reumáticas autoimunes”, foi publicada no final de 2021.

Os pacientes analisados possuíam doenças autoimunes, por isso, tinham uma resposta menor à vacina contra o coronavírus. Na população geral, os anticorpos obtidos pela vacina perdem a força em alguns meses. Já em pessoas autoimunes, por causa dos tratamentos da doença, essa diminuição é mais intensa.

Assim, a pesquisa realizada por especialistas em Fisiologia do Exercício e Medicina do Esporte, comparou seis meses de resposta vacinal de pacientes ativos na atividade física e sedentários, para analisar se havia diferença na resposta vacinal.

Os pacientes foram classificados em sedentários ou ativos, a partir de suas respostas a questionários padronizados. Foram 748 pacientes estudados e fatores que poderiam atrapalhar a análise também foram registrados.

“Entre os pacientes imunocomprometidos com DRA (Doenças Reumáticas Autoimunes), estar fisicamente ativo foi associado a uma maior persistência de anticorpos por 6 meses após um curso completo de uma vacina SARS-CoV-2 inativada”, diz o estudo.

Com informações do site: BHAZ